As regras de concursos leiteiros realizados no país podem mudar, passando a valorizar a qualidade do leite em lugar da qualidade ordenhada. De acordo com o fiscal.

http://www.canalrural.com.br/videos/jornal-da-pecuaria/concursos-leiteiros-podem-valorizar-qualidade-65437

O volume de animais confinados dos associados da Associação Brasileira dos Confinadores (ASSOCON) foi de quase 731 mil animais em 2015. Esse resultado mostra queda de 5% em relação ao ano passado, quando a produção foi de 769 mil bovinos. O levantamento da entidade inclui os 85 projetos pecuários associados nos Estados de São Paulo, Paraná, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Goiás e Maranhão.

Fatores internos e externos comprometeram a expectativa inicial da Assocon, de crescimento do confinamento em mais de 5% no ano. No âmbito interno, o boi magro permaneceu valorizado e o consumo de carne bovina foi impactado, em parte pelo ambiente econômico brasileiro e em parte pela menor oferta de animais para o abate (queda ao redor de 10%). Nesse cenário, o consumidor também acabou migrando parte de seu consumo para as proteínas animais mais baratas, como frango e suíno. Em termos globais, grandes importadores, como a Rússia, passam por dificuldades econômicas e reduziram suas compras, comprometendo as exportações de carne bovina – que estão 17% inferiores a 2014 (dados até outubro)

Além disso, “o segundo giro de gado no confinamento apresentou problemas de rentabilidade devido ao preço do boi gordo, que não acompanhou a elevação do custo de produção, especialmente do milho”, afirma Bruno de Andrade, gerente-executivo da associação. Ele entende que os números finais de 2015 refletem de maneira fiel o humor do pecuarista.

A previsão para 2016, embora preliminar, segue a mesma tendência. De acordo com dados apurados pela Assocon, o confinamento pode cair até 3,5% no próximo ano, uma vez que o pecuarista continua desconfiado em relação ao consumo doméstico, custos de produção e retomada das exportações de carne bovina. “Mas ainda se trata de uma estimativa inicial, que pode ser revertida se algum desses componentes mudar. A Abiec está otimista em relação às exportações em 2016. Pode ser o sinal esperado pelos confinadores para investir na compra de bois magros. Resta esperar”, ressalta Bruno de Andrade.

Juliana Villa Real

TEXTO COMUNICAÇÃO CORPORATIVA
Contato: (+55) 11 3039-4100 | (+55) 11- 999.100.111
Skype: juliana.texto1
Site: www.textoassessoria.com.br
Acompanhe a TEXTO no twitter

A nova edição da Beef Expo, maior evento latino-americano da pecuária de corte, já tem data marcada e será entre os dias 14 e 16 de junho de 2016, no Pro Magno Centro de Eventos (Rua Samaritá, 230 – Casa Verde – São Paulo/SP). Para o lançamento oficial, executivos, diretores, profissionais de marketing e jornalistas reuniram-se em um almoço especial organizado pela promotora Safeway Agro no luxuoso Espaço Eataly, em São Paulo (SP), onde foi apresentada os destaques da programação, que será enriquecedora, agregando num mesmo local, feira de negócios, exposição de animais, leilões, mostras, conteúdo técnico e festivais gastronômicos. Sucesso absoluto, a primeira edição, em Foz do Iguaçu (PR), recebeu visitantes de vários países e muitos elogios do mercado.

Participaram representantes de empresas como DSM Tortuga, Banco Original, Marfrig Group, JBS, Minerva Foods, Merial, Trouw Nutrition Brasil, Premix, Agroceres Multimix, VPJ Alimentos, Arysta, Vaccinar, Virbac, Elanco e CRV Lagoa. Também compareceram líderes de entidades da Associação dos Criadores de Nelore do Brasil (ACNB), Associação Brasileira de Angus (ABA), Associação Nacional dos Confinadores (ASSOCON), além de profissionais de importantes órgãos setorizados da imprensa.

O encontro foi aberto com uma exposição ilustrativa de todas as atividades que envolvem a BeefExpo de 2016, feita pela diretora de marketing da Safeway Agro, Flávia Roppa, e o coordenador de julgamentos e mostra de animais, Ricardo Baldo. Na sequência, o diretor comercial da empresa, Estevão Pieroni, detalhou como vem crescendo a adesão de empresas, entidades e produtores ao projeto da BeefExpo e discriminou os benefícios garantidos às empresas parceiras que se unirem ao projeto ainda no fim deste ano e no início de 2016.

“Conheço o local do evento e posso dizer que é fantástico, maravilhoso. Estamos muito animados e vou levar todo este entusiasmo para o pessoal da empresa, afim de participarmos da melhor maneira possível”, avaliou o diretor de compra de gado do Marfrig Group, José Pedro Crespo. Adriana Rocha, do Marketing da Vaccinar Saúde Animal, também destacou o ânimo da corporação em investimentos que valorizem a marca e integrem os objetivos da empresa com o crescimento do segmento previsto para o ano que vem. “O pessoal está animado com as perspectivas para o evento. Vou levar todas a novidades para formatarmos uma participação bem interessante da empresa na BeefExpo em São Paulo”.

Antes do almoço, lideranças da pecuária falaram sobre a importância de um encontro que vai reunir negócios, animais, leilões, julgamentos e conteúdo no ‘coração’ do business do continente. “É um projeto ousado, mas bem planejado e estruturado. Basta ver o que está sendo erguido e até as projeções já feitas para 2017 em relação a presença de animais. Contem com todo o nosso apoio”, garantiu o presidente da ACNB, Pedro Novis. O estrategista Fábio Schuler Medeiros, responsável pelo Programa Carne Angus Certificada, da Associação Brasileira de Angus (ABA), apontou a importância da capital paulista como mercado consumidor. “Já marcamos de alguma maneira presença na primeira edição do evento, em Foz, e agora posso ratificar que estamos juntos mesmo. Ainda mais num evento que vai ser realizado em São Paulo, que é um local estratégico, muito importante para nós, da Angus. São Paulo é tudo de bom”, frisou Fábio Schuler.

Já o pecuarista, empresário e líder do segmento Carlos Viacava, da CV Nelore Mocho, duas vezes presidente da ACNB, fez questão de relembrar o desejo dos criadores em voltar a participar de um encontro que combine conhecimento com um contato direto com os animais. “A cadeia produtiva da pecuária de corte nunca escondeu que sente falta de um evento exatamente nestes moldes. Feira de negócios, tecnologia à disposição dos produtores, muito conhecimento e o mais importante: a presença dos animais, ali, ao nosso lado, em julgamentos, leilões, mostras e exposição. A primeira edição da BeefExpo, em Foz do Iguaçu, foi um sucesso estrondoso e temos a convicção que agora, em São Paulo, com todas as facilidades que o maior centro do país oferece, vai ser ainda melhor. E estaremos ao lado dos organizadores, certamente, marcando a melhor presença possível”.

O modelo de encontro pecuário inédito no Brasil que também recebeu o apoio de importantes executivos de empresas do setor. “A BeefExpo vai ser um excelente momento para difundirmos tecnologia entre os pecuaristas brasileiros, no sentido de melhorarmos a eficiência e os resultados de nossa atividade”, afirmou Lauriston Bertelli, executivo da Premix e atual integrante do Conselho Fiscal da Associação Brasileira de Indústrias de Suplementos Minerais (ASBRAM). “O que posso dizer? O modelo deste evento é simplesmente perfeito”, cravou Ariel Maffi, vice-presidente da área de ruminantes da DSM no Brasil.

SERVIÇO

BeefExpo’ 2016

Data: de 14 a 16 de junho de 2016

Local: Pro Magno Centro de Eventos, São Paulo (SP)

(Rua Samaritá, 230 – Casa Verde)

Facebook: www.facebook.com.br/beefexpo
Site: www.beefexpo.com.br
Telefone: (19) 3305 2295
E-mail: thais@ssp.com.br ou beefexpo@sspe.com.br

ATENDIMENTO À IMPRENSA

Pec Press® – Imprensa Agropecuária

Adilson Rodrigues – Jornalista Responsável (Mtb 52.769)

Robson Rodrigues – Coordenação

Telefone: (11) 3876-8648 / 9-8642-8773

A chapa de Fred Mendes na disputa para a presidência da ABCZ anuncia, oficialmente, mais um nome de peso: Jovelino Carvalho Mineiro. Pecuarista dos mais respeitados do país, uma das 100 personalidades do Agro, segundo a Revista Dinheiro Rural, Jovelino Mineiro está envolvido com o Agro há mais de 40 anos. É proprietário das Fazendas Santanna, ícone na seleção de gado Nelore e Brahman.

 

A Minerva S.A. (“Minerva”) anunciou a seus acionistas e ao mercado em geral que seu Conselho de Administração aprovou a celebração de contrato de investimento com a Salic (UK) ltd. (“SALIC UK”), subsidiária integral do fundo Saudi Agricultural and Livestock Investment (“SALIC”) e seu grupo controlador VDQ Holding (“VDQ”). O acordo se dará através de investimento da SALIC UK na Minerva por meio de aumento de capital privado, ao valor de R$15,60 por ação, onde a VDQ e a BRF S.A. cederão à SALIC seus direitos de subscrição. Pelo contrato, SALIC UK fará um aporte de R$ 746,4 milhões, através da aquisição de 47,9 milhões de ações do aumento de capital. Ainda, no contexto do contrato de investimento, a VDQ e a SALIC UK celebraram um acordo de acionistas, regulando sua relação enquanto acionistas da Minerva. Este investimento permitirá à SALIC UK indicar três representantes no Conselho de Administração da Empresa, assim como ter direito à veto em determinadas matérias qualificadas. A operação ainda está condicionada à aprovação em Assembleia Geral Extraordinária da Minerva.

O investimento da SALIC UK permitirá a Minerva aumentar ainda mais seu acesso aos mercados do Oriente Médio, região com alto potencial de crescimento. Também, o investimento beneficiará a atual estrutura de capital da Minerva, reforçará seu capital de giro, e sustentará seu atual plano de expansão.

“Estamos muito honrados com o interesse da SALIC UK em investir na Minerva, pois demonstra a qualidade e a eficiência da gestão da companhia. Este acordo também aumenta ainda mais nossa oportunidade em criar valor para nossos acionistas ”, comenta o Diretor Presidente, Fernando Galletti de Queiroz. Neste sentido, o executivo cita como ponto positivo da Minerva a capacidade de adaptação para atuação em vários cenários, mesmo que voláteis, com “consistência, disciplina, foco e gestão de risco”, e completa: “Devido a fatores como clima, extensão de terras e disponibilidade hídrica, a América do Sul possui uma vocação natural para a produção de soft commodities e, atualmente, existe uma demanda crescente para esta produção. A região apresenta uma série de oportunidades interessantes para empresas que têm forte atuação no mercado internacional, e entendemos que a Minerva está muito bem posicionada para extrair valor de tais oportunidades”.

“A SALIC UK está muito contente em investir na Minerva, uma empresa com forte posição de mercado e boas perspectivas, tanto na América do Sul quanto no mercado internacional. A SALIC UK está ansiosa em apoiar a Minerva na realização de seus planos para expandir suas operações em novos mercados e em particular no Oriente Médio”, disse o presidente da SALIC UK e CEO da SALIC, Abdullah Aldubaikhi.

A Minerva possui plantas no Brasil, Uruguai, Paraguai e Colômbia que operam com padrões internacionais de qualidade em abate e produção de carne bovina, a qual segue para consumidores exigentes em várias partes do mundo. A empesa é uma das líderes na produção e comercialização de carne in natura, gado vivo e seus derivados, sendo segunda maior exportadora brasileira do setor.

Para a SALIC UK, a América do Sul se apresenta como um dos mercados atrativos para seus investimentos.

Sobre a Minerva

A Minerva S.A. é uma das líderes na América do Sul na produção e comercialização de carne bovina, couro, exportação de gado vivo e derivados, é a segunda maior exportadora brasileira do setor em termos de receita bruta, e atua também no segmento de processamento de carne bovina, suína e de aves, comercializando seus produtos para mais de 100 países. A companhia tem uma capacidade diária de abate de 17,3 mil cabeças de gado e de desossa equivalentes a 20,3 mil cabeças de gado por dia. Presente nos estados de São Paulo, Rondônia, Goiás, Tocantins, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, e também no Paraguai e no Uruguai, a Minerva opera 17 plantas de abate e desossa, uma de processamento e 13 centros de distribuição.

Sobre a SALIC UK

A Salic UK é uma subsidiária integral da Saudi Agricultural and Livestock Investment (“SALIC”), foi criada em setembro de 2014, e será a acionista de Minerva. A SALIC foi fundada em novembro de 2011 e é uma sociedade anônima detida integralmente pelo Fundo de Investimento Público do Reino da Arábia Saudita (PIF) e que tem como mandato investir de forma rentável nas cadeias de valor da agricultura e da pecuária em todo o mundo.

Informações para a imprensa:

Thais Araújo – thais.araujo@agenciaideal.com.br

+ 55 11 4873 7947

Rodrigo Pinotti – rodrigo.pinotti@agenciaideal.com.br

+ 55 11 4873 7927

Rodrigo Fonseca – rodrigo.fonseca@agenciaideal.com.br

+ 55 11 4873 7940

Bezerro e arroba valorizados estimulam pecuaristas a entrarem no mundo da IATF. Fazendas como a São Vicente, no Paraná, inseminam pela primeira vez nesta estação

Uma supervalorização em 2015. Foi assim com a arroba do boi gordo, com o bezerro e com os animais vendidos em leilões. A alta foi de até 40% ante o mesmo período do ano passado. O cenário tem atraído mais investimentos em inseminação artificial. Até mesmo de pecuaristas tradicionais, que até então só adotavam o monta natural na fazenda.

Lucas Yano, representante da ABS Pecplan na região noroeste do Paraná, onde o valor da arroba é um dos mais valorizados do país, comenta que cresceu o número de clientes que nunca haviam inseminado antes e também de quem já estava há muito tempo sem inseminar. “Com o mercado valorizado, muitas pessoas que nem conheciam a técnica de IATF (Inseminação Artificial por Tempo Fixo) nos procuraram. O produtor está reconhecendo a importância da tecnologia para a produção de um animal de qualidade”, explica.

O médico veterinário Walter Sucupira trabalha há 24 anos com reprodução de bovinos e comenta que nos últimos dois anos o mercado “explodiu”. “Hoje o pecuarista não tem escolha. Ou se tecnifica ou sai do ramo. São indispensáveis investimentos em tecnologias para melhora da pastagem e potencialização da reprodução com IATF”, avalia o especialista.

Ainda de acordo com Sucupira, o sêmen de qualidade passou a ser um diferencial competitivo no mercado. “Hoje, para se destacar, primeiro, é preciso investir em tecnologia – no caso a IATF. E, depois, investir tecnologia da tecnologia – sêmen de qualidade. Eu faço uma comparação com os times de futebol. Hoje todos são bons. O jogo se ganha nos detalhes. Assim é no rebanho: precisamos de bons materiais genéticos”, detalha.

E é por isso que Walter Sucupira indica aos clientes o sêmen ABS. “É uma empresa que conta com touros diferenciados. E, além da qualidade dos produtos, atua com ética e responsabilidade”, justifica.

Estreia com a ABS. E foi com essa recomendação que este ano, pela primeira vez, a Fazenda São Vicente, localizada em Alto Paraíso (PR), resolveu estrear na técnica de Inseminação Artificial por Tempo Fixo (IATF). Na propriedade, são mais de 1800 animais. E a expectativa é que nesta primeira safra “tecnológica”, serão 760 matrizes inseminadas. O trabalho já começou. Só com sêmen da ABS. “O médico veterinário (Walter Sucupira) que nos assiste nos indicou a empresa e estou muito satisfeito com a ABS”, garante Ricardo Fontes Beltran Menegazzo,

Ricardo é a terceira geração a comandar a criação de nelore. Para dar continuidade ao trabalho iniciado pelo avô, o jovem pecuarista resolveu apostar em tecnologia. “A intenção é ter um controle maior da reprodução, conseguirmos manter uma estação de monta certinha e, claro, ver um melhoramento genético mais rápido do rebanho”, justifica.

Atualmente, o foco da fazenda é venda de bezerros. A valorização do produto em 2015 motivou os investimentos em IATF. “Sem dúvida, o bom momento nos estimulou. Se o mercado não estivesse tão aquecido, adiaríamos”, afirma. Ainda de acordo com Menegazzo, a expectativa com a IATF é que daqui a três anos a fazenda comece a trabalhar com o ciclo completo: cria, recria e engorda. “Por isso, nossa expectativa é que, com a genética, ganhemos em desempenho e em rendimento de carcaça”, completa

Valor se refere ao resultado líquido do evento, conforme prestação de contas e balanço financeiro apresentado pelo leiloeiro Eduardo Gomes

Em reunião com parceiros, apoiadores, entidades beneficiadas e a imprensa, o leiloeiro Eduardo Gomes apresentou sábado, 19, em Araguaína (norte do Tocantins) o balanço final do 4º Leilão Pecuária Solidária, realizado no 1º de novembro, na cidade.

“Entre algumas doações lançadas em duplicidade e outras que não se confirmaram, dos R$ 654 mil anunciados logo após o termino do leilão, o resultado bruto real apurado pela Centro Oeste Leilões, empresa responsável pela contabilidade do evento, passou a ser de R$ 631 mil”, anunciou Eduardo Gomes na oportunidade.

Conforme demostrado, a quarta edição do projeto teve um custo total de R$ 130 mil. Com isso, a receita líquida foi de R$ 501 mil. Segundo o leiloeiro, esse valor será dividido entre as 13 instituições beneficiadas. “As entidades vão utilizar esses recursos, conforme pré-definido com a organização do leilão, para fazerem investimentos ou na aquisição de equipamentos que melhorem o atendimento aos pacientes ou famílias assistidas por elas”, disse.

Histórico

Iniciativa criada em 2009 e, que a partir do Tocantins, ganhou adesões de vários segmentos do agronegócio do Brasil, o Leilão Pecuária Solidária alcançou em quatro edições o montante de R$ 1,6 milhão distribuídos a entidades assistenciais que cuidam de pacientes e pessoas carentes, principalmente do Tocantins.

Iniciado em Gurupi, em 2009, para celebrar os 25 anos de atuação profissional do leiloeiro Eduardo Gomes no Tocantins, o Leilão Pecuária Solidária é realizado a cada dois anos.

Edição 2015

A 4ª edição do Leilão Pecuária Solidária que foi realizada em Araguaína contou com o apoio do Rotary Clube, Lojas Maçônicas, Associação Comercial de Industrial de Araguaína (Aciara) e Sindicato Rural de Araguaína.

VALOR QUE SERÁ REPASSADO A CADA ENTIDADE

Banco de Leite Humano e UTI Nel Natal do Hospital Dom Orione……………………….R$ 55.000,00

Casa das Meninas Ágape……………………….R$ 20.000,00

Casa de Acolhimento Ana Carolina Tenório……………………….R$ 55.000,00

Lar do Idoso Cantinho do Vovô……………………….R$ 55.000,00

Casa de Passagem “Tra Noi” ……………………….R$ 55.000,00

Apae Guaraí…………………… R$ 28.000,00

Apae de Dois Irmãos……………………….R$ 28.000,00

Creche Maria Madalena ………………….R$ 35.000,00

Creche Irmã Dulce (de Gurupi)……………R$ 35.000,00

Casa do Caminho (Paraíso do Tocantins)……………………….R$ 30.000,00

Fazenda da Esperança (Porto Nacional)……………………….R$ 40.000,00

Centro de Convivência dos Idosos (Xinguara, no Pará)…………R$ 25.000,00

Casa de Apoio São Luiz (Aparecida, de Goiânia)……….R$ 40.000,00

Carlão esteve com Carla Tuccilio para um cafezinho em São Paulo. A Livraria Cultura do Boi é apenas uma das muitas novidades que vem por aí em 2016.

O presidente do Grupo Publique, Carlão da Publique esteve com José Luiz José Niemeyer Dos Santos em seu escritório de São Paulo. Fazenda Terra Boa, que já anuncia seu Leilão Touros Terra Boa para o dia 3 de julho, primeiro domingo do mês. A meta é crescer 20% em relação à 2015. É a genética fazendo a diferença. 80 touros Nelore e 40 touros Brangus JT.

Já Carlão e Niemeyer brincam que o  plano para 2018, é que os dois correram juntos a São Silvestre. Carlão, com 53 e o Sr. Zé com 80. Que venha 2018.

Notícia de Fim de Ano: esta foto mostra o momento da confirmação oficial de Jonas Barcellos, como Vice-Presidente na Chapa de Fred Mendes à Presidência da ABCZ. Barcellos é um dos maiores criadores de Nelore do Brasil e promove os mais respeitados leilões do Brasil em sua Chácara Mata Velha, em Uberaba.