Luiz Henrique Witzler assume cadeira no GTPS!

Médico Veterinário possui mais de trinta anos de experiência em certificações da pecuária, sociais, ambientais e de produtos orgânicos.

O Médico Veterinário Luiz Henrique Witzler, executivo das empresas Serviço Brasileiro de Certificações (SBC) e IBD Certificações, assumiu a cadeira da categoria ‘Insumos e Serviços’ no Grupo de Trabalho da Pecuária Sustentável (GTPS), entidade que reúne diversos setores da cadeia produtiva de carne bovina para buscar o desenvolvimento de uma pecuária sustentável em termos econômicos, sociais e ambientais.

O Conselho Diretor do GTPS é composto por até três representantes de cada categoria. São três anos de mandato, sendo o atual de julho deste ano até junho de 2023. O processo de escolha é realizado por meio de votação em Assembleia Geral Ordinária. São eleitos os associados plenos mais votados pela categoria. Todo ano, ocorre a renovação de um terço dos membros do Conselho Diretor, divididos pelas categorias: Produtores; Insumos e Serviços; Indústrias; Sociedade Civil; Instituições Financeiras, e Varejos e Restaurantes.

As principais funções do cargo, de acordo com o Estatuto Social do GTPS, são promover os objetivos do GTPS e deliberar sobre os assuntos de Governança do Grupo, além de executar as decisões da Assembleia Geral e tomar todas as medidas necessárias para alcançar os objetivos estabelecidos.

O SBC é uma certificadora com dezoito anos de experiência no mercado e tem como principal objetivo auditar protocolos do setor agropecuário para promover a sua melhoria contínua, além de permitir aos produtores agregar valor ao seu produto e conquistar mercados mais exigentes. Líder no protocolo SISBOV, o SBC atua em 30% do mercado brasileiro de fazendas certificadas, incluindo grandes projetos pecuários e renomadas empresas do setor. Também é acreditada ISO/IEC 17065 para o protocolo GLOBALG.A.P. para os escopos de frutas e vegetais, e grãos, e realiza auditorias internas de rebanhos bovinos e de protocolos particulares, como uso de energia renovável em indústrias e frigoríficos.

O médico veterinário Luiz Henrique Witzler tem mais de trinta anos de experiência e é um dos nomes mais respeitados quando o assunto é rastreabilidade, habilitação de fazendas pecuárias para comercializar carne bovina para a Europa e certificação de dezenas de produtos orgânicos exportados para o mundo inteiro. Witzler, também conhecido como ‘Alemão’, é um pioneiro. Foi um dos responsáveis pela primeira certificação de café orgânico vendido ao exterior pelo Brasil, em 1990. Em dez anos, foram dezenas de novas certificações, sociais, ambientais e de produtos da pecuária, tecido, perfume, entre outros. O IBD é uma empresa 100% brasileira e com atuação em mais de 20 países.

Na virada dos anos 2000, foi convidado a atuar como consultor para uma nova certificadora, focada em outra atividade, a Pecuária, na habilitação de animais para a Europa, pois o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) preparava nova instrução sobre exportação para aquele continente, o que viria a ocorrer já em 2002. A nova regra surgiu, o Sistema Brasileiro de Identificação e Certificação de Bovinos e Bubalinos (SISBOV), que identifica individualmente os animais de fazendas que desejam fornecer carne para mercados mais exigentes. Um sistema consolidado, seguro e que pode ser usado pelos pecuaristas brasileiros para agregar valor ao seu produto e qualificar melhor a cartela de compradores no mercado interno e externo.

Luiz Witzler ainda comanda a Associação Brasileira das Empresas de Certificação por Auditoria e Rastreabilidade (ABCAR), fundada neste ano por representantes do segmento credenciados junto ao MAPA para a certificação de propriedades e rastreabilidade de animais de produção que têm como destino a União Europeia.

“O Brasil avançou muito na produção de carne bovina nos últimos vinte anos. Somos líderes na comercialização mundial e abastecemos o mercado brasileiro, que é enorme e responde por um consumo de aproximadamente nove milhões de toneladas por ano. Mas temos um trabalho imenso pela frente. Porque os desafios aumentaram demais. No campo, na indústria, nos consumidores. E a própria evolução no comportamento da sociedade. No Brasil e no exterior. Que acabou acelerada com a pandemia da Covid 19. As empresas de insumos e serviços que atuam no Brasil podem disponibilizar um painel enorme de tecnologias, serviços e extensão aos pecuaristas, atuando ao lado deles para oferecer um alimento que se destaca por qualidade, sustentabilidade, segurança, eficiência, produtividade e rentabilidade”, explicou Luiz Henrique Witzler.

As reuniões do Conselho Diretor do GTPS são realizadas a cada dois meses, com representantes de todas as categorias. O Grupo nasceu em 2007, com representantes de diversos setores da cadeia produtiva de carne bovina, entre produtores, instituições financeiras, indústrias, sociedade civil, insumos e serviços, varejos e restaurantes, ensino e pesquisa. Com uma agenda positiva, busca o desenvolvimento de uma pecuária sustentável, através do equilíbrio entre os pilares econômicos, sociais e ambientais. “É um prazer atuar na promoção dos valores pregados pelo GTPS nestes últimos treze anos. Difundindo no país inteiro a política de uma Pecuária Sustentável. E as empresas fornecedoras de insumos e serviços, que já contribuíram muito nesse sentido, estão aptas e prontas para desenvolver novos projetos e novas parcerias e ações nas fazendas, nas indústrias e no varejo. Para estabelecer definitivamente um padrão de excelência na carne bovina que ofertamos a clientes no planeta inteiro”, concluiu  o executivo do SBC Certificações e titular da cadeira na categoria ‘Insumos e Serviços’ no GTPS.