Publique acompanha Temple Grandin no Brasil

Temple Grandin, a pesquisadora mais conhecida no mundo quando o assunto é Bem-Estar Animal, esteve no Brasil esta semana, participando de diversas atividades a convite da JBS, da Boehringer Ingelheim e da Tortuga®, marca da DSM, em parceria com o Grupo de Estudos e Pesquisas em Etologia (ETCO), da Universidade Estadual Paulista (Unesp), e Fazenda Orvalho das Flores.

Ela falou com jornalistas, profissionais do segmento e representantes de empresas, fazendas e frigoríficos sobre sua técnica de “manejo racional”, que traz uma série de recomendações reconhecidamente eficientes para melhorar o bem-estar dos bovinos e reduzir o índice de acidentes. Diagnosticada com autismo, ainda criança, Temple é capaz de enxergar detalhes que passam despercebidos pela maior parte das pessoas, o que a tornou uma referência em comportamento animal.

Apenas nos Estados Unidos, quase a metade dos bovinos é manejada em instalações planejadas por ela. No Brasil, ela exerce a mesma influência em fazendas como também em unidades produtivas. Exemplo de seu trabalho é o curral em curvas, no qual os animais se locomovem com mais facilidade, pois têm a percepção que estão voltando para o ponto de partida. Como vantagens dessa e outras técnicas, os rebanhos ficam mais calmos e têm melhores respostas produtivas.

No encontro com os jornalistas, Temple Grandin foi acompanhada pelo professor da Universidade Estadual Paulista (Unesp) de Jaboticabal, Mateus Paranhos, uma das maiores referências do assunto no Brasil. Ela defendeu o transporte de animais vivos em caminhões, trens e navios, mas alertou para a necessidade de se ter espaço para os animais. E afirmou que o manejo permanece tendo um papel fundamental para a produção de carne e leite, independentemente dos avanços tecnológicos. “As pessoas precisam ser cuidadas e treinadas. E a gente percebe que algumas têm o dom para trabalhar com animais, elas entendem o gado, e outras se dão melhor mesmo com máquinas, não servem para isso”, brincou.

A professora Temple Grandin ainda é uma proeminente defensora da comunidade autista. Sua inspiradora história de vida foi tema de um filme premiado. Ela publicou 18 livros, sendo sete especificamente sobre comportamento e bem-estar animal, além de onze sobre autismo.

A especialista ainda defendeu a preservação das matas em países tropicais como o Brasil, incentivou que os executivos da cadeia produtiva de proteína animal saiam dos escritórios e conheçam a produção no campo, explicou que o bem-estar animal hoje é questão prioritária para os consumidores, considerada mais importante até do que a segurança alimentar, e disse que não há contradição em se tratar bem o animal e depois abatê-lo para comer a carne. “Temos que dar a esses animais uma vida que valha a pena ser vivida. Na verdade, uma vida decente, porque tudo vai morrer um dia. A natureza, inclusive, pode ser muito mais cruel do que o homem. O problema é quando os animais são maltratados”, concluiu.