Fazenda Terra Boa é premiada em festa da ABB

Criatório foi homenageado nas categorias ‘Trio Reservado Grande Campeão de Machos’, ‘Trio Campeão Júnior’, ‘Trio Reservado Campeão Júnior‘ e ‘Reservado Campeão Individual Rústico Júnior’.

A Fazenda Terra Boa, do pecuarista José Luiz Niemeyer dos Santos, foi uma das principais homenageadas durante o evento “Brangus Forte”, promovido pela Associação Brasileira de Brangus (ABB) para comemorar os quarenta anos de atividades da entidade. Para marcar a data em grande estilo, a ABB realizou um jantar no último dia 12 de abril, no Espaço D’ Buffet, em Campo Grande (MS), que contou com a entrega das premiações dos campeões do julgamento nacional de rústicos e com homenagens a várias personalidades por seu trabalho em prol da raça, além do tradicional leilão de sêmen.

José Luiz Niemeyer dos Santos e outros, representando a Fazenda Terra Boa, de Guararapes (SP), foram premiados nas categorias ‘Trio Reservado Grande Campeão de Machos’ e ‘Trio Campeão Júnior’, com Brangus JT 1991 FIV, Brangus JT 2001 FIV, Brangus JT 2103 FIV; ‘Trio Reservado Campeão Júnior‘, com Brangus JT 2032 FIV, Brangus JT 2041 FIV, Brangus JT 2072 FIV, e ‘Reservado Campeão Individual Rústico Júnior’, com Brangus JT 2010 FIV.

Primeiro presidente da Associação Brasileira de Brangus, Cláudio Antônio Bitencourt Caldas também foi homenageado na noite que teve, ainda, o tradicional leilão de sêmen da entidade, com a venda total de 1.050 doses ofertadas de 20 touros de R$ 37.500,00. As doses foram doadas pelas principais centrais do País, como ABS, Alta Genetics, CORT Genética, CRV Lagoa, Genex, Renascer Biotecnologia, Select Sires, Semex, Solução Genética, ST Repro e Brangus Brawir.

Participaram do evento criadores destacados da raça e profissionais ligados à cadeia do Brangus, como Gil Tozatti (representando Cláudio Antônio Bitencourt Caldas), Leonardo Pavin (representante da Renascer Biotecnologia), Amadeu Alvim (jurado do Julgamento Nacional de Rústicos Brangus 2019), Renata Pereira (Superintendente do Serviço de Registro Genealógico da ABB), Tita e Ladislau Lancsarics, João Pedro Giudice, Mauro Moraes, Pedro Borgatello, Antonio Celso de Oliveira Figueiredo, Gerson Lima (representando os sócios Augusto e Eduardo Caldeirão), Carlos Alberto Viviani, Ângela Linhares, Mauro e Pedro Braga, Luciano e Carmeliano Zamboni, Santiago Fermin Wirsch e Marcos Sereniski, dentre outros.

No final, foram premiados os campeões do julgamento nacional de rústicos da raça. Os prêmios e as homenagens foram patrocinados pela Renascer Biotecnologia.

Sobre a Terra Boa – A Fazenda Terra Boa iniciou sua criação de bovinos em 1950, com um rebanho comercial e, quatorze anos depois, investiu nas primeiras matrizes Nelore puras. Em 1965, nasceu o produto RGN 001 da seleção Nelore Terra Boa. Em 1992, o criatório ingressou no Programa Nelore Brasil da ANCP (Associação Nacional de Criadores e Pesquisadores) e, em 2003, adquiriu um rebanho comercial da raça Brangus, em Mato Grosso do Sul.

Satisfeitos com as qualidades da raça (precocidade, boa habilidade materna, fertilidade, rusticidade e características funcionais), em 2008, a cabeceira das novilhas foi para a Terra Boa, dando início ao trabalho de seleção do Brangus JT. Para aumentar a qualidade, a eficiência e a produtividade nos rebanhos das raças Nelore e Brangus, em 2015, a fazenda aderiu aos programas Qualitas e Natura/Gensys, validados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) por intermédio do CEIP (Certificado Especial de Identificação e Produção). Campeã em sustentabilidade desde a origem (em 1958, ganhou o troféu “Fazenda Conservacionista do Estado de São Paulo”), a Terra Boa mantém 1.688 hectares com áreas de preservação, pastagens e de cultivo de cana-de-açúcar (Integração Lavoura-Pecuária).