Corteva e Embrapa: Boas Práticas Agrícolas

A Corteva Agriscience, a Divisão Agrícola da DowDuPont, e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) debateram nesta quarta-feira, dia 5, em Brasília (DF), as boas práticas agrícolas (BPA), um tema que visa a sustentabilidade do agronegócio, a preservação do meio ambiente e o aumento da produtividade do setor. A passagem do projeto itinerante “Expedição da Agricultura para a Vida”, da Corteva, na sede da entidade de pesquisas da Capital Federal, foi uma oportunidade de unir esforços e compartilhar as melhores práticas para uma agricultura responsável, produtiva e segura. “A Corteva e a Embrapa têm programas de boas práticas similares e que se complementam. Discutir esse tema em conjunto é uma chance de aprimorar ainda mais as ações que podemos oferecer para toda a cadeia produtiva.  Todos ganham:  agricultor, indústria e o consumidor final”, explicou Jair Maggioni, Coordenador do programa de Boas Práticas Agrícolas da Corteva Agriscience.

O caminhão itinerante do Programa Expedição tem 7 metros de comprimento e 3,5 de largura, com baú adaptado e dividido em ambientes visualmente atrativos. Os treinamentos são aplicados por acadêmicos e pesquisadores e tê como objetivo discutir os quatro pilares das inciativas de BPA: Manejo de Plantas Daninhas, Manejo Integrado de Pragas, Tecnologia da Aplicação e Segurança do Trabalhador.

Cada tema lecionado conta com apresentações teóricas e práticas interativas, que são realizadas nesses ambientes e por meio de jogos nos quais os participantes testam seu conhecimento de forma lúdica. Os exercícios são aplicados com dinamismo e interatividade para grupos de até 15 pessoas por vez, com duração aproximada de quatro horas.

O projeto teve largada em 2016. São dois dias em cada município, com até quatro treinamentos ministrados a consultores, agrônomos e técnicos responsáveis pelo cultivo, totalizando setenta turmas até o final de 2018. O projeto educativo itinerante já passou pelos estados do Rio Grande do Sul, Paraná, São Paulo, Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. E ainda avançou pelo continente, visitando três cidades do Paraguai.

Além do caminhão itinerante, a Corteva mantém o Programa de Aplicação Responsável (PAR), que tem o objetivo de treinar agricultores e ressaltar a importância das boas práticas agrícolas na aplicação de defensivos agrícolas. No programa, realizado em parceria com a Universidade Estadual Paulista (UNESP) de Botucatu (SP), os agricultores participam de um dia de campo em que são abordados conceitos de aplicação responsável de forma teórica e por meio de simulações práticas. Também fazem parte do programa de Boas Práticas os projetos sociais Corteva Escola, Corteva Mulheres no Campo e Corteva Natureza.

Para reforçar e ampliar ainda mais todo o trabalho desenvolvido, a empresa dispõe de um biblioteca digital voltada para o tema. A ideia é levar ao público conhecimento e informações de qualidade sobre os principais pilares que permeiam todo o processo do cultivo. Conteúdos específicos sobre Manejo de Plantas Daninhas, Manejo Integrado de Pragas, Tecnologia de Aplicação e Segurança do Trabalhador estão disponibilizados em ferramentas, como webinars, e-books, artigos, vídeos, entre outros, possibilitando a conectividade e interação de maneira rápida e acessível. Basta acessar o website http://boaspraticasagricolas.com.br/ e seguir os perfis de Boas Práticas Agrícolas no Facebook, Twitter, Instagram e Youtube.

Nesta quinta-feira, os participantes do evento também puderam acompanhar uma explicação sobre os programas desenvolvidos na Embrapa na área de manejo integrado de pragas nos estados do Paraná, Mato Grosso e Goiás. O pesquisador Edson Hirose explica que “O objetivo das ações é diminuir custos mantendo a qualidade de produção”, reforçou o pesquisador Edson Hirose.