Girolando firma convênios com Bolívia e Equador

Com quase 2 milhões de animais registrados no Brasil, a Associação Brasileira dos Criadores de Girolando está expandindo as fronteiras pela América Latina. Para garantir que o número de rebanhos certificados seja cada vez maior no continente, a entidade acaba de assinar convênio técnico com associações de criadores da Bolívia e do Equador. O diretor de Relações Internacionais da Girolando, Guilherme Marquez, destacou que a raça está em franco crescimento em vários países, mas há a necessidade de certificar oficialmente a qualidade dos animais. “A Bolívia e o Equador já têm rebanhos muito bons e agora estão dando um passo certeiro para ter um rebanho de alto valor genético, como já é o brasileiro. Não existe qualidade sem o registro genealógico, pois ele é a garantia para o pecuarista e para o mercado de que o animal está dentro dos padrões raciais definidos para a raça”, assegura Marquez. Desde 1989, a Girolando é responsável no Brasil pelo Serviço de Registro Genealógico da raça, que surgiu no país e hoje é responsável por 80% da produção leiteira nacional.

A partir de agora, o serviço de registro de animais Girolando passa a ser realizado com exclusividade no Equador pela Associação de Criadores de Gir e Girolando do Equador (Asogyre). A assinatura do convênio ocorreu no dia 6 de outubro, durante a Expoferia Ganadera 2018, em Guaiaquil. Assinaram o convênio o diretor de Relações Internacionais da Girolando e o presidente da Asogyre, Carlos Alberto Neira. A Expoferia Ganadera 2018, ocorrida de 5 a 8 de outubro, ainda contou com julgamento de Girolando no sábado, 6, comandado pelo jurado brasileiro Marcello Cembranelli. Ele ainda ministrará palestras nos dias 11 e 12 de outubro no Seminário Internacional do Equador. Entre os temas que serão abordados estão o controle leiteiro como ferramenta de gestão e seleção, a internacionalização da raça e a evolução de fêmeas Girolando de acordo com o biótipo leiteiro de cada composição racial. O seminário é promovido pela cooperativa local Tonicorp.

Já na Bolívia, quem conduzirá o serviço de Registro será a Associação Boliviana dos Criadores de Zebu (Asocebu). O convênio foi assinado no final de setembro durante a Expocruz, em Santa Cruz de La Sierra, pelo diretor Guilherme Marquez e o presidente de Asocebu, Mario Ignacio Anglarill. “O convênio também vai gerar outros benefícios para a pecuária leiteira da Bolívia, tais como transferência de tecnologias, cursos de capacitação dos técnicos, etc.”, diz Anglarill.