O setor de biológicos cresce 30% ao ano. Fernando Sousa, Gerente de Marketing da Agrivalle, fala sobre os novos tempos com o investimento da Tarpon. Uma conversa com a jornalista Marcia Benevenuto.

Depois de DECIDIR, agora é a hora de PLANEJAR. Toda conquista na nossa vida precisa de um PLANEJAMENTO. Quando assunto é emagrecimento existem vários fatores que precisamos nos atentar para começar o que nos propomos a fazer sem desistir no meio do caminho, como ocorre na maioria das vezes.

Sempre digo: “a vida não é uma linha reta, existem altos e baixos, perdas e ganhos”. No vídeo de hoje, eu vou te ajudar a planejar as suas metas e te mostrar os benefícios de dividí-las em várias fatias, igual o meu planejamento que vocês estão acompanhando nas últimas semanas do #DesafioRecalculando.

Assista a primeira parte desse vídeo, QUERER É PODER: https://youtu.be/Y2kxx8p8zGc E estamos na quinta semana do #DesafioRecalculando. Eu mostro para vocês os resultados dessa etapa e como eu estou planejando minhas refeições diárias. Acompanhem e deixem nos comentários os seus resultados!

https://youtu.be/ot7uASdcg9A

Nesse momento desafiador decorrente da pandemia da Covid-19, o agronegócio no Brasil tem tido um papel preponderante na manutenção do superávit das exportações, bem como na garantia de alimentos na mesa dos cidadãos brasileiros. As consequências da crise sanitária no mundo e no país estão sendo mensuradas.  Para tratar dessas questões, o Congresso Brasileiro do Agronegócio (CBA), um dos eventos mais relevantes do universo do agro nacional, vai responder, no dia 3 de agosto, questionamentos importantes referentes às lições que o país tirará com essa crise sem precedentes.

Em coletiva de imprensa virtual sobre o Congresso, promovida nesta quinta-feira, dia 30 de julho, Marcello Brito, presidente do Conselho Diretor da Associação Brasileira do Agronegócio (ABAG), disse que a tendência é que o agronegócio continue a obter bons resultados porque, apesar do impacto do desemprego mundial, as economias globais receberam aportes importantes e contam com um capital fluindo. “Isso deve manter o agro nacional, até porque em uma crise econômica, a tendência é a desvalorização do real e o fortalecimento do dólar, o que beneficia o setor”.

Porém, Brito observou que a questão da demanda interna ainda é incerta, pois ela vem sendo sustentada pelo auxílio emergencial, que será finalizado. Além disso, ele ressaltou que alguns segmentos, como frutas, hortaliças e flores, estão sofrendo com a pandemia. O mercado de flores, por exemplo, depende de eventos e festas, que não devem retornar a curto prazo. “As exportações de frutas foram prejudicadas pelo cancelamento dos voos comerciais. Mas, eles são muito resilientes e devem voltar a ter sua importância rapidamente”, afirmou.

Fabio Zenaro, diretor de Produtos de Balcão, Commodities e Novos Negócios da B3, bolsa do Brasil, afirmou que essa crise tem um caráter totalmente diferente e as indefinições foram, no início, muito grandes. “Mesmo não tendo certezas neste momento para a resolver a questão sanitária, já há sinais surpreendentemente positivos no mercado, com vários movimentos tentando amenizar a situação”. Sobre a questão das commodities, o executivo anunciou que “estamos apostando na soja, por isso em breve lançaremos um contrato de soja brasileiro”.

O Congresso Brasileiro do Agronegócio, com transmissão ao vivo pela internet, será diferenciado, com um formato totalmente virtual. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas diretamente no site oficial.

Brito conduzirá, juntamente com o CEO da B3Gilson Finkelsztain, a abertura do evento, a partir das 9h00, que terá o pronunciamento da ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, do secretário da Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Gustavo Junqueira, do deputado Federal e presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária, Alceu Moreira, e a mensagem do ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas.

O evento virtual está dividido em três painéis, com uma dinâmica que possibilita a interação entre os debatedores e com o público participante. O jornalista William Waack modera os painéis, que serão formados por um depoimento de importantes personalidades nacionais, seguido por avaliações de especialistas dos segmentos do agronegócio e da economia, da indústria alimentícia, de institutos de pesquisa e do comportamento social e humano.

O primeiro painel O Agro Brasileiro e a Crise Global têm o objetivo de analisar a função do agronegócio brasileiro perante a crise no mundo, se o segmento terá oportunidades de ampliar suas exportações em produtos como a carne e os grãos e quais serão os riscos para o setor nesse período. O depoimento  ficará a cargo do Embaixador do Brasil junto à União Europeia, Marcos Galvão, com os debatedores: Grazielle Parenti, presidente do Conselho Diretor da Associação Brasileira da Indústria de Alimentos (ABIA), Márcio Lopes de Freitas, presidente do Sistema OCB e Paulo Sousa, presidente da Cargill no Brasil.

“Nesse painel, reunimos um representante de cada setor – exportações (Cargill), produção (OCB) e indústria (ABIA) porque a união da produção do campo, do processamento nacional e da exportação é importante para enfrentar o desafio do agro no mercado externo, sobretudo perante a imagem brasileira nos dias atuais”, comentou Brito.

Já o segundo painel Mercado Financeiro, Seguro e Crédito Rural analisará o impacto da crise do ponto de visita financeiro. De fato, atualmente, existem diversos mecanismos de financiamentos e instrumentos de crédito, além dos bancos tradicionais, como fintechs, operação de barter, os traders, entre outros. Os debatedores poderão avaliar esses instrumentos bem como o Plano Safra 2020/2021, que contará com R$ 236,3 bilhões em recursos, com destaque para os R$ 1,3 bilhão do Seguro Rural, um instrumento importante para garantir a segurança do produtor em caso, por exemplo, de intempéries climáticas.

O depoimento deste painel será proferido por Roberto Campos Neto, Presidente do Banco Central do Brasil, com a participação nos debates de Fábio Zenaro, diretor de Produtos Balcão, Commodities e Novos Negócios da B3, Ivandré Montiel da Silva, CEO da BrasilSeg e Pedro Fernandes, diretor de Agronegócio do Itaú BBA. “São três especialistas de altíssimo nível para falar sobre o setor que se transformou nos últimos doze meses. Aos poucos, o Plano Safra, que hoje representa 30% dos recursos para o agro, deve estar focado para atender mais os pequenos produtores, enquanto médios e grandes produtores serão atendidos por diferentes modalidades do setor privado”, ponderou o presidente do Conselho Diretor da ABAG.

Considerado um dos mais estratégicos dessa edição, o terceiro painel do Congresso Brasileiro do Agronegócio debaterá O Agro e A Nova Dinâmica Econômica, Social e Ambiental. Isso porque há muitas dúvidas se as mudanças decorrentes da pandemia serão duradouras ou passageiras. Além disso, a Europa, por exemplo, tem estipulado que a retomada de sua economia estará ligada fortemente à diminuição do impacto ambiental de suas atividades, mantendo seu compromisso com as metas estabelecidas no Acordo Verde (Green Deal).

Outras questões para este painel são as inovações e digitalização no campo que estão revolucionando o modo de produzir, colher, gerenciar os cultivos e os animais e a mudança no hábito dos consumidores, que estão em busca por alimentos mais saudáveis e ambientalmente responsáveis, com a valorização de mercados nas origens da produção.

“Esse é o painel que representa o tema central Lições para o Futuro, uma vez que reunimos ciência, economia, meio ambiente e sociedade”, afirmou Brito. Por isso, o painel terá o depoimento de Celso Luiz Moretti, presidente da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA), com os especialistas no debate: André Guimarães, diretor Executivo do Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia IPAM / Coalizão Brasil, José Roberto Mendonça de Barros, sócio diretor da MB Associados e Luiz Felipe Pondé, filósofo e colunista da Folha de São Paulo.

O presidente da ABAG também será responsável pelo encerramento do Congresso Brasileiro do Agronegócio junto com o ex-ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, atual coordenador do GVagro da FGV.

O Programa de Gestão DSM está com as inscrições abertas. O Gerente Técnico Nacional de Gado de Corte da DSM, Lucas Oliveira, tem mais informações sobre a plataforma de gestão que é gratuita para todos os pecuaristas de corte do Brasil e de fora.

O programa Fala Carlão conversou com Kleber Gomes, que é o Presidente da OuroFino Saúde Animal. Ele conta suas origens de menino humilde, feito Presidente da Multinacional brasileira da Saúde animal, entre as 3 maiores do Brasil. Conheça seus desafios e aonde ele espera chegar, no leme da Companhia. Fala Kléber.

Nesta quinta-feira, 30 de julho de 2020, a Associação Nacional dos Distribuidores de Insumos Agrícolas e Veterinários (ANDAV) transmite das 15h00 às 16h00 (de Brasília) a sua primeira Assembleia Geral Virtual, uma apresentação dedicada aos Distribuidores de Insumos Agropecuários, associados à ANDAV, e que poderá ser conferida pelo púbico interessado em seu canal do YouTube.

O evento vai contar com a participação do Secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), César Hanna Halum e do Diretor de Análise Econômica e Políticas Públicas da Secretaria de Política Agrícola/MAPA, Luis Eduardo Rangel.

Para acompanhar a Assembleia Geral basta acessar o perfil oficial da ANDAV no YouTube, neste link: https://bit.ly/AssembleiaGeralANDAV

A nova edição da Revista AgroRevenda – ‘A Plataforma de Informação do Setor’ -, já está impressa e na versão digital (site www.agrorevenda.com.br) para todos os profissionais envolvidos com o segmento da distribuição de insumos agrícolas e veterinários do Brasil.

Na reportagem de capa, a edição 84 mostra como o Agronegócio do nosso país segue alimentando quase um bilhão de pessoas no mundo inteiro. O título é: COVID-19: O AGRO ALIMENTA O BRASIL SEM PARAR!

O grande destaque é o lançamento do caderno especial dedicado aos animais de companhia. ‘FALANDO DE BICHOS’ é conteúdo moderno, antenado com o mercado e agora sempre ao lado da sua AgroRevenda.

Na seção ‘Revenda da Vez’, a história de sucesso da ‘Comercial da Roça”, do empreendedor Amarildo Merotti.

A AgroRevenda mostra toda a movimentação na Distribuição brasileira, com negócios envolvendo as empresas Nutrien, Tec Agro, AGLUKON e AMVAC.

A entrevista é com o presidente da MSD Saúde Animal Brasil, Paraguai, Uruguai e Bolívia, Delair Bolis. E ele crava: “Nosso propósito é trabalhar pela saúde das pessoas e a saúde e o bem-estar dos animais”.

E tem mais: as novidades das revendas, os programas de relacionamento da Boehringer, Corteva, Mosaic e MAPFRE, além da sucessão na ANDAV e o crescimento na comercialização dos defensivos agrícolas.
Um artigo  questiona o distribuidor: você está preparado para a Lei Geral de Proteção de Dados?

É isso aí, o Grupo Publique e a Revista AgroRevenda não estão para brincadeira, não.

Contrato firmado com certificadora de renome internacional ALGI nternational Inc vai oferecer ao mercado brasileiro os protocolos sociais ‘Sedex – SMETA’ e ‘amfori – BSCI’.

Com o propósito de atender ao crescimento das demandas em certificações e parcerias sociais pelo mercado mundial e por toda a sociedade contemporânea, o Serviço Brasileiro de Certificações (SBC) acaba de firmar uma parceria com a empresa americana ALGI, para oferecer ao Agronegócio do Brasil os mais modernos protocolos de avaliação social.

A ALGI International Inc foi criada em 1994, tem sede em Plantation, nos Estados Unidos, e atua como terceira parte no campo da responsabilidade social corporativa, avaliações e certificações sociais e ambientais sustentáveis. Mantém escritórios em áreas internacionais estratégicas, como China, Bangladesh, Paquistão, Vietnã, Turquia, Indonésia, República Tcheca, Peru, Egito, Camboja, Estados Unidos e Brasil. Realiza mais de três mil auditorias por ano, conduzidas sob os padrões internacionais mais críticos, de protocolos como SMETA, BSCI, Wrap, SA8000, SLCP e HIGG, entre outros. São os mais largamente conhecidos, utilizados e requisitados pelos exigentes mercados mundiais de alimentos e diversas indústrias, como a têxtil. E, no Brasil, a ALGI possui representantes no Nordeste, para atender os fruticultores.

O Serviço Brasileiro de Certificações é uma empresa brasileira com quase vinte anos de atuação em auditoria de protocolos que trazem mais segurança e comprometimento do setor produtivo com o consumidor. Líder no protocolo SISBOV, o SBC atua em 30% do mercado brasileiro de fazendas pecuárias certificadas, além de renomadas indústrias do setor, como frigoríficos. Também é acreditada ISO/IEC 17065 para o protocolo GLOBALG.A.P. para os escopos de frutas, vegetais e grãos, e realiza auditorias internas de rebanhos bovinos e de protocolos particulares, como o uso de energia renovável em indústrias e frigoríficos.

“É uma parceria muito importante, um negócio que conseguimos concretizar depois de um ano de conversações. Trabalhar ao lado de uma corporação reconhecida internacionalmente na área de protocolos de responsabilidade social corporativa em avaliação social e meio ambiente. O SBC vai comercializar esses protocolos no Brasil para os nossos clientes e todo o mercado nacional, com os auditores altamente capacitados da ALGI que já atuam no nosso país”, comemorou Matheus Modolo Witzler, Gerente de Certificações do SBC. O executivo explica que, inicialmente, a empresa vai oferecer dois importantes protocolos sociais da ALGI: ‘Sedex – SMETA’ e ‘amfori – BSCI’. “Todos os elos da cadeia podem ser certificados, sendo o principal deles as indústrias, em que já temos especialização de trabalhar com grandes frigoríficos. A fruticultura também já tem essa demanda muito grande e vamos oferecer os novos protocolos. Temos grandes expectativas de atender ao mercado, assim como nosso novo parceiro. A ALGI entende que nós temos um amplo espaço conquistado, principalmente na carne bovina. E o SBC tem certeza de que a parceria vai ser duradoura, pois envolve protocolos que há muito tempo gostaríamos de oferecer aos nossos clientes”, acrescenta Matheus Witzler (FOTO).

Outro objetivo perseguido nesta nova caminhada é ampliar o interesse pelos protocolos por parte de todos os elos da cadeia, como agentes do varejo, atacado, fornecimento e insumos. São protocolos muito exigentes, criteriosos, com profundidade, questionando firmemente a parte social, o relacionamento com os colaboradores, um nível bem alto de produção para todos os interessados. E representa uma das metas mais audaciosas assumidas dentro do ‘core business’ do SBC. “Somos uma empresa aberta, que deseja atender todos os interessados. Queremos ampliar nossas parcerias internacionais no futuro, oferecendo comercialmente os protocolos mais requisitados. Entendemos que o mundo é o nosso cliente e temos que comunicar isso muito bem, deixando claro o nosso potencial e o do Brasil, de produzir bastante, com qualidade e respeito às pessoas, ao meio ambiente e aos animais”, conclui Matheus Witzler.

O ECR 2020 Digital da Scot Consultoria promove capacitação, desenvolvimento e aprendizado de toda a equipe, nos dias 5, 6, 7 de agosto (Encontro de Recriadores) e 7, 12, 13 e 14 de agosto (Encontro de Confinamento).

O ‘Encontro de Confinamento e Recriadores’, da Scot Consultoria, vai ser realizado em agosto, nos dias 5, 6, 7 de agosto (Encontro de Recriadores) e 7, 12, 13 e 14 de agosto (Encontro de Confinamento). Participar desse evento poder ser uma grande oportunidade para quem precisa aumentar a produtividade no trabalho. Será possível transmitir o ECR 2020 para os funcionários na fazenda, oferecendo o acesso a informações precisas e relevantes neste momento de incertezas no mercado.

Segundo Marco Tulio Habib Silva, diretor de marketing da Scot Consultoria, mesmo os produtores que não puderem reunir o time de campo com segurança em um único ambiente para que todos acompanhem o evento em uma TV ou telão, não há com o que se preocupar. “Os inscritos terão acesso à gravação das palestras e aos artigos dos palestrantes em formato de e-book e podcast, além de muitos outros benefícios. Assim, é possível passar todo esse conteúdo para equipe durante ou após o evento.”, reforça Marco Túlio.

O ECR 2020 Digital contará com palestrantes ligados à cadeia pecuária, avaliando o contexto da pecuária brasileira e internacional nos blocos de conteúdo e nas trilhas de conhecimento. O evento será transmitido em uma plataforma virtual exclusiva. As inscrições podem ser feitas pelo site confinamentoerecria.com.br, WhatsApp 17 98171 2100 ou telefone 17 3343 5111.

Acompanhe a programação:

ENCONTRO DE RECRIADORES

DIA 5 DE AGOSTO / BLOCO ‘O QUE ENTRA NESSE JOGO?’

A recria começa antes mesmo do bezerro nascer. Desmamar o bezerro pesado é obrigação e, entrar com uma boa suplementação, não é mais uma alternativa. Devemos sempre usar as melhores opções de componentes na dieta, e claro, medir tudo do começo ao fim.

Sua recria já começou faz tempo
Rodrigo Brüner – Tulipa Agropecuária

Sequestro de bezerro
Jefferson Jacomélli Dias – Fazenda Brasil

O uso do DDGS na recria intensiva
Luciano Penteado – Firmasa

Sem medir não vou a lugar algum
Alexandre Bueno de Oliveira – Fazenda Conforto

Palestra de encerramento – ‘O que vi e aprendi com as crises que vivi’
Alcides Torres – Scot Consultoria

DIA 6 DE AGOSTO / BLOCO ‘AS DIFERENTES MODALIDADES’

Não importa o sistema de produção, ele precisa ser rentável. Faremos um comparativo de três sistemas intensivos, entendendo no final as principais dores da intensificação, independente do sistema adotado.

Recria no cocho
Marcos Túlio Borges Caetano – Confinamento São Lucas

Recria intensiva em um projeto de ILP
Bruno Carneiro e Pedreira – Embrapa

Recria intensiva em um projeto irrigado
Claudio Braga – Fazenda Conforto

As dores de um projeto de recria superintensificado
Moacyr Corsi – Esalq/USP

Palestra de encerramento – ‘O que vi e aprendi com as crises que vivi’
Alceu Moreira – Frente Parlamentar Agropecuária

ENCONTRO DE CONFINAMENTO E RECRIADORES

DIA 7 DE AGOSTO / BLOCO ‘FORÇAS, FRAQUEZAS, OPORTUNIDADES E AMEAÇAS NA PECUÁRIA’

A economia, o mercado do boi e de insumos, as políticas agrícolas serão assuntos abordados de uma forma diferente: apresentando as forças, fraquezas, oportunidades e desafios para cada uma dessas áreas, de forma simples e direta.

Economia
Alexandre Mendonça de Barros – MB Agro

Boi
Hyberville Neto – Scot Consultoria

Grãos
Rafael Ribeiro – Scot Consultoria

Frigorífico
Fabiano Tito Rosa – Minerva Foods

Gestão de Riscos
Lygia Pimentel – AgriFatto

Políticas Agrícolas
Ivan Wedekin – Wedekin Consultores

ENCONTRO DE CONFINAMENTO

DIA 12 DE AGOSTO / BLOCO ‘PECUÁRIA 4.0 SE FAZ COM GESTÃO 4.0’

O único caminho para se falar em pecuária 4.0. Traremos casos de outras áreas para entender de maneira prática a importância da gestão de todos os fatores e como isso impacta no seu negócio.

O verdadeiro papel do gestor
Raimundo Godoy – Aquila

Gestão de operações complexas
Luiz Roberto Maldonado Barcelos – Agrícola Famosa

Gestão de pessoas
Sandro Viechnieski – Starmilk

Gestão de custos operacionais
Fernando Junqueira Franco – Pecuarista

Gestão de dados e Big Data
Arlan Marcos Lorenzetti – Copérdia

Palestra de encerramento – BLOCO ‘O que vi e aprendi com as crises que vivi’
Marcos Jank – Insper

DIA 13 DE AGOSTO / BLOCO ‘FOCO NO ALTO DESEMPENHO’

Com os custos de produção cada vez mais elevados, focar no alto desempenho e entender cada etapa, como o manejo, a nutrição e a sanidade, podem influenciar o resultado final da operação do confinamento, é necessidade básica.

Bem-estar x Desempenho
Fernanda Macitelli Benez – UFMT

O verdadeiro custo da sanidade no confinamento
Paulo Henrique Jorge da Cunha – UFG

A chegada do DDG e outros produtos do etanol de milho
Flávio Portela – Esalq/USP

A viabilidade das dietas totais e o impacto no operacional
Anderson Alex Panzera – Grupo Mantiqueira

Palestra de encerramento – ‘O que vi e aprendi com as crises que vivi’
Pedro Parente – BRF

DIA 14 DE AGOSTO / BLOCO ‘VAMOS FALAR DE CARNE?’

Um bate papo esclarecedor com quem mais entende de carne. Como funciona a cadeia da carne, que tipo de produto cada mercado exige e como posso produzir carne com maior valor agregado? Imperdível.

Diferentes produtos para diferentes mercados
Luiz Ricardo Alves Luz – Minerva Foods

O que é qualidade de carne?
Sergio Pflanzer – Unicamp

Ultrassonografia de carcaça para seleção e produtividade
Liliane Suguisawa – DGT Brasil

Como a sustentabilidade pode agregar valor à carne
Mariane Crespolini – MAPA

Futuro de carne e tendências de consumo
Andréa Veríssimo Lopes de Almeida – Avelã Public Affairs

Apresentação dos resultados do Confina Brasil
O maior levantamento de confinamento in loco do Brasil, organizado pela Scot Consultoria, traz, juntamente com a Embrapa de Campinas e outros parceiros, uma análise completa do que mudou no confinamento brasileiro do começo do ano (antes da pandemia), para o momento que estamos vivendo.
Alcides Torres – Scot Consultoria

Palestra de encerramento – ‘O que vi e aprendi com as crises que vivi’
Celso Moretti – Embrapa

 

No próximo dia 30 de julho, a Associação Nacional dos Distribuidores de Insumos Agrícolas e Veterinários (ANDAV) vai transmitir a realização da sua primeira Assembleia Geral de 2020. O encontro será dedicado aos associados, mas também poderá ser acompanhado por interessados no setor.

O evento vai contar com a participação da Ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), Tereza Cristina, como convidada de honra.

O encontro será transmitido ao vivo pelo Canal do YouTube da ANDAV: https://bit.ly/YouTubeANDAV
Mais informações pelo telefone (19) 3203.9884 e site .www.andav.com.br