É comum que proprietários de grandes rebanhos de bovinos e equinos marquem os animais para identificar a quem pertencem. Nestas situações, é preciso cuidado com a cicatrização. Por isso a Lagbarda Saúde Animal destaca o Terragard. Apenas um jato é suficiente para prevenir a inflamação, evitar a contaminação microbiana e ainda acelerar o processo de cicatrização.

O Terragard é uma solução de uso tópico, com poder cicatrizante indicada também para tratamento de lesões cirúrgicas derivadas de castração, descorna, rachadura do casco e cura do umbigo de bezerro. A aplicação de Terragard deve ser feita diretamente no local afetado, após limpeza da área a ser tratada. O tratamento deve ser feito uma vez ao dia até a completa cura da lesão ou a critério do médico veterinário.

Além da indicação para tratamento de lesões cirúrgicas, feridas e marcações, Terragard também é indicado para infecção nos olhos de ovinos e bovinos que pode afetar todo rebanho se não for diagnosticada e tratada a tempo. Também conhecida por pinkeye, a doença é causada por uma bactéria e deixa os animais com os olhos avermelhados.

O Terragard spray é uma solução de uso tópico ideal para estes casos, pois tem ação anti-inflamatória e cicatrizante. Saiba mais sobre a ação do produto para esta enfermidade nos links: http://labgard.com.br/linha-vet/infeccao-nos-olhos-de-ovinos-e-bovinos-conheca-os-sintomas-e-tratamento/  e http://labgard.com.br/noticias/ceratoconjuntivite/

Todos os reprodutores bovinos que serão leiloados pela Prata Agropecuária têm avaliação genética pelo PMGZ.

Um dos mais tradicionais selecionadores das raças Nelore Mocho e Brahman do País, o pecuarista Antônio Renato Prata comanda mais uma edição do Leilão Fazenda Dois Irmãos que, em 2019, chega à sua 22ª edição. O criador já iniciou a seleção dos 150 touros, com avaliação genética pelo Programa de Melhoramento Genético de Zebuínos (PMGZ), que serão ofertados no pregão. Outra ferramenta utilizada para a seleção dos animais é a ultrassonografia de carcaça, para identificar medidas ligadas à produção de carne de qualidade, tais como Área de Olho de Lombo, Marmoreio e Espessura de Gordura. “Estamos selecionando animais precoces, férteis, de bom ganho de peso, boa conformação frigorífica e rústicos, ideais para a produção de bezerros de qualidade, pois, na pecuária de corte comercial, a padronização dos bezerros e o bom peso à desmama são importantes para garantir a rentabilidade do negócio”, explica Antônio Renato Prata.

Outro cuidado que está sendo adotado na escolha dos animais é a realização do exame andrológico para avaliar a capacidade reprodutiva dos exemplares. “Avaliamos cascos, pernas e aprumos, teste de libido e, em seguida, a qualidade do sêmen. Os touros são minuciosamente examinados para terem excelente desempenho em qualquer região do País”, destaca Marco Esteves, médico-veterinário responsável pela parte sanitária do rebanho da Prata Agropecuária. Em sistemas de monta natural, o touro pode chegar a gerar mais de 50 descendentes ao ano. Mas, caso tenha uma subfertilidade ou infertilidade, deixa de produzir, causando grandes prejuízos para a propriedade ao longo do tempo.

Durante o Leilão Fazenda Dois Irmãos, a maior oferta será de animais Nelore Mocho, raça selecionada desde 1962 pela Prata Agropecuária, sendo um dos primeiros rebanhos a ter animais inscritos no Registro Genealógico de Nelore Mocho da Associação Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ). Também haverá a oferta de touros Brahman, tanto da pelagem vermelha quanto da branca. “No Brahman, temos como foco a produção de reprodutores rústicos, de boa carcaça, com maior ganho de peso e que possam ser utilizados para cobrir a vacada a campo”, diz. O rebanho da Prata Agropecuária é avaliado pelo PMGZ desde 1982.

O Leilão Fazenda Dois Irmãos está agendado para o dia 31 de agosto, na fazenda da Prata Agropecuária, em Tarabai/SP, e também terá a oferta de equinos Quarto de Milha. A expectativa é que participem produtores rurais de vários estados. Haverá transmissão ao vivo pelo site do criatório (www.prataagropecuaria.com.br). A leiloeira responsável é a Leilopec.

Sobre a Prata Agropecuária – A Prata Agropecuária mantém propriedades em São Paulo, Paraná e Mato Grosso do Sul, seleciona as raças bovinas de corte Brahman, Braford, Brangus e Nelore Mocho, além de atuar na pecuária comercial (cria, recria e engorda). Conta, também, com cavalos Quarto de Milha, tendo conquistado quatro vezes o troféu Potro Futuro. A empresa é conduzida pelo pecuarista Antônio Renato Prata, pela filha Renata Prata e a nora Adrianny Prata.

 

O criador de Senepol Itamar Netto tem um convite especial para todos. Nos próximos dias 3, 4, 5 e 6 de junho vai ser realizada a 4ª Mega Semana Ita Senepol, na Fazenda Bom Jardim, em Porteirão (GO). Hora de receber amigos e clientes para apresentar um trabalho bem feito e um conceito de seleção.

Serão oitenta fêmeas prenhes e 15 touros. Pagamento em dezesseis parcelas, com frete facilitado. Remate a cargo da Central Leilões e transmissão do Canal do Boi. Mais informações pelos telefones (34) 3236 4689 e (34) 99976 0184. Não perca!

Novo produto do crédito rural facilita acesso a material genético e a animais que podem mudar a situação produtiva das propriedades de pecuária de corte e de leite.   

Os recursos para o financiamento do setor rural são considerados estratégicos e aumentam em cada safra. No Banco do Brasil, a taxa de crescimento foi de 21% no plano de 2018/2019, o que elevou o montante administrado pela instituição de R$ 85 bilhões para R$ 103 bilhões de reais. Várias linhas de crédito rural já contemplam o segmento pecuário e os valores dos empréstimos começam em R$ 5 mil. Mesmo assim, o agente financeiro inova continuamente com soluções para atender a um leque maior de proprietários rurais. O produto mais recente voltado à bovinocultura é o Consórcio Material Genético.

O valor liberado é de R$ 50 mil reais por CPF e o prazo para pagamento da carta de crédito ficou definido em 36 meses. A aplicação do recurso é exclusiva para fornecedores credenciados pelo banco. E o Nelore Adir, que já tem um histórico de parcerias em outros convênios, foi escolhido como fornecedor oficial do programa. A carta de crédito é destinada à aquisição de sêmen, embriões e animais. “Esse é um projeto muito sério. O sistema exige procedência do fornecedor e comprovações da efetividade da genética que tem a compra viabilizada pela ação do banco. O Grupo Adir é parceiro de um convênio de resultados positivos com o Banco do Brasil e estamos preparados para atender a toda a demanda que vier pelo consórcio”, explica o criador Paulo Leonel.

O objetivo do consórcio é viabilizar a evolução da bovinocultura, melhorar a qualidade dos animais de produção, aumentar a renda dos pecuaristas e apoiar a sustentabilidade econômica e ambiental da pecuária. “Além da genética comprovada por 60 anos de seleção e de uma trajetória consolidada no mercado, nós temos 31 representantes em 17 estados do Brasil. Da mesma forma que a pessoa tem a garantia de poder contar com a assistência técnica quando compra um carro por consórcio, por exemplo, a gente pode corresponder nessa relação de confiança”, diz Leonel.

Sobre o Nelore Adir – Ao longo de quase 60 anos de história, o Nelore Adir atende a todos os perfis de criadores, em todos os segmentos da pecuária. Pureza racial, beleza e funcionalidade estão no centro dos trabalhos do criatório, cuja genética se destaca principalmente em acabamento e rendimento de carcaça, além

de qualidade de carne e índices recordes de marmoreio. Características remuneradoras, como padronização, precocidade e musculosidade, podem ser constatadas nos principais touros da bateria Adir, como Jiandut FIV da 2L, Quanupur da 2L, Jallad da 2L, Recanto da 2L e Palluk.

 

Evento acontece nos dias 4 e 5 de junho de 2019 em Campinas (SP). Maior cooperativa do setor no Brasil, Cooxupé embarcou 5,23 milhões de sacas de café em 2018 e vai contar os desafios enfrentados para alcançar estes números.

A atividade exportadora é essencial para o desenvolvimento econômico de um país uma vez que dá a oportunidade de ampliar a proporção da produção; reduzir a carga tributária, aperfeiçoar os procedimentos manufatureiros industriais, crescer e inovar a capacidade. Além disso, as empresas que exportam passam a ter tendências inovadoras em relação às não exportadoras; e quando a empresa trabalha bem e garante a satisfação do seu cliente passa a ser o tipo de empresa referência no seu país e no exterior.

Mas exportar é desafiador e o mercado precisa estar favorável. De acordo com Carlos Augusto Rodrigues de Melo, presidente da Cooxupé e um dos palestrantes no Encontro Nacional das Cooperativas Agropecuárias (ENCA), que ocorrerá nos dias 4 e 5 de junho de 2019, em Campinas, confiança, qualidade do café e mercado internacional favorável são alguns quesitos imprescindíveis. “O cooperado precisa entender o quanto é importante fazer parte de uma cooperativa e se manter fiel, entregando seu café a ela. A Cooxupé, reconhecida internacionalmente, atua no mercado dando voz e possibilidade aos seus associados e, também, oportunidade para que eles participem quando as condições de comercialização estão favoráveis”, explica.

Ainda na visão do presidente da Cooxupé, a qualidade do café, também é um desafio aos produtores para que tenham seu café classificado como diferenciado, condição que eleva preços no momento da venda do café. “Nesse sentido, a Cooxupé não mede esforços para oferecer assistência técnica gratuita, tendo condições de melhorar seu manejo e produção, ganhando em qualidade e em competitividade”, salienta.

Exportação para 51 países – Em 2018, a Cooxupé recebeu 6,45 milhões de sacas e embarcou 5,23 milhões – entre as quais 3,92 milhões foram para as exportações diretas para 51 países e 1,02 milhão para o mercado interno. Esse montante rendeu um faturamento de R$ 3,793 bilhões. Já as sobras somaram no total R$ 143.926.486 – valor 42% maior ante 2017 (R$ 101 milhões) – dos quais R$ 50 milhões foram distribuídos exclusivamente aos cooperados.

“Mesmo com a greve dos caminhoneiros que aconteceu no ano passado, 2018 foi um ano em que as expectativas da Cooxupé foram atingidas. 2018 foi ano de bienalidade alta. Já em 2019, ano de bienalidade baixa, a Cooxupé espera receber 5,8 milhões de sacas de café arábicas, tipo produzido em toda área de atuação da cooperativa como Sul e Cerrado de Minas Gerais e Média Mogiana do Estado de São Paulo”, conta.

Atualmente, 80% das atividades da Cooxupé respondem por exportações. Neste caso, vale lembrar que o cooperado comercializa o seu café com a Cooxupé e a cooperativa, dentro de seus estoques e possibilidades, segue com seus compromissos comerciais junto ao mercado exterior.

 

O plantel mais premiado da raça Braford mantém posição de liderança no mercado e um histórico de vitórias com base em pressão de seleção e foco na evolução contínua dos animais.

É festa na Pitangueira e o grupo comemora dois grandes feitos! Na Exposição Nacional da Associação Brasileira de Hereford e Braford (ABHB), em Uruguaiana, no Rio Grande do Sul, evento que reuniu 316 animais de 31 criatórios, o plantel faturou o prêmio de melhor vaca no julgamento de rústicos. E no ranking TOP 100, mais uma vez ficou com os títulos de “maior vendedor de touros Braford” e de “segundo maior vendedor de reprodutores taurinos” no Brasil.

O TOP 100 é um reconhecimento conferido por uma publicação de âmbito nacional, em parceria com pesquisadores e consultores do setor pecuário. A lista da categoria taurinos, publicada desde 2016, tem em seu banco de dados uma série de indicativos que sustenta os criadores de Hereford e Braford no grupo mais representativo do mercado dos reprodutores de sangue europeu, com as duas raças respondendo por cerca de um terço de toda a genética disseminada no rebanho nacional. O Braford Pitangueira apresenta evolução sustentável em cada safra. Em 2018, o criatório comercializou 500 reprodutores e o projeto é chegar aos 600 até 2020.

Para a Pitangueira, essa conquista é a comprovação do sucesso do trabalho que tem mais de 40 anos de seleção voltados à criação de touros adaptados e eficientes, capazes de manter altos desempenhos produtivos e reprodutivos em qualquer região pecuária do Brasil.

A genética idealizada por Pedro Monteiro Lopes, que vem sendo preservada e melhorada por sua sucessora, a filha Clarissa Rhode Lopes Peixoto, já está presente em 70% do território brasileiro. “A partir das unidades de Itaqui e Maçambará, no Rio Grande do Sul, fundamos um projeto grande no Centro-Oeste. Hoje, com parcerias – que funcionam em modelo similar ao de franquias – nas cidades de Rio Verde-GO, Guarantã do Norte-MT e Balsas-MA, a abrangência ficou muito maior e conseguimos fazer touros diferenciados, superiores e adaptados às condições e exigências específicas de cada local”, diz a criadora.

O leilão anual do Grupo Pitangueira está marcado para o dia 5 de outubro, na Fazenda Espinilho, em Maçambará-RS, com transmissão ao vivo pelo Canal Rural.

Sobre o Grupo Pitangueira – Considerado a marca do Braford brasileiro, o Grupo Pitangueira tem uma história que se confunde com a trajetória da raça no País. Foi um dos primeiros a comercializar a genética Braford no Brasil e, também, um dos fundadores da Conexão Delta G, que é o mais antigo programa de melhoramento genético brasileiro e conta com o maior banco de dados. O rebanho ainda é aprovado pelo Ministério da Agricultura com o CEIP – Certificado Especial de Identificação e Produção e se destaca pela rigorosa seleção sempre voltada para a produção de carne de qualidade a partir da criação a pasto. O Grupo Pitangueira é igualmente referência na agricultura com um forte trabalho na cultura de arroz irrigado. Instalações modernas e investimentos permanentes em melhoria contínua e inovação sustentam uma safra anual de 50 mil toneladas, exclusivamente em lavouras próprias. O Arroz Pitangueira é um dos líderes na produção gaúcha e tem uma das principais unidades de beneficiamento e comercialização do Rio Grande do Sul.

O Silverbac é um poderoso spray prata antisséptico que está entre os campeões de vendas da Labgard Saúde Animal. Já são mais de um milhão de tubos comercializados. O produto é um antiparasitário de uso externo eficaz no combate das bicheiras em bovinos, suínos, ovinos, caprinos e equinos.

Também é indicado para prevenção de contaminações em feridas acidentais ou cirúrgicas. O Silverbac possui ação repelente, antisséptica, cicatrizante, bactericida, larvicida e hemostática. O produto já vem pronto para uso e deve ser aplicado diretamente na região afetada até a completa cicatrização da ferida ou cirurgia.

Silverbac é o único spray prata no mercado produzido com geraniol, que mantém os insetos longe, e a presença de triclorfon em sua fórmula não deixa que o produto cause ardência, evitando que o animal se desvie da aplicação. Saiba mais sobre o produto em: http://labgard.com.br/pet/silverbac/.

 

A propriedade conta com mais de 100 mil cabeças e trabalha com foco na produção de carne de qualidade, utilizando a genética de touros Angus da Semex Brasil.

Considerada uma das maiores fazendas de pecuária de corte do mundo, a Nova Piratininga, em São Miguel do Araguaia/GO, recebeu a visita da diretoria da Semex Alliance, empresa parceira no projeto de produção de carne de qualidade. A propriedade está intensificando seu projeto pecuário e, para a estação de monta 2018/2019, utilizará em torno de 45 mil doses de sêmen da raça Angus da Semex. Paul Larmer, CEO da Semex Alliance, maior central de inseminação do mundo e com sede no Canadá, desembarcou no Brasil neste mês de maio para conhecer os resultados do projeto da Nova Piratininga.

Como o foco do projeto é a produção de carne Premium, o rebanho está sendo inseminando com sêmen de touros Angus com características relacionadas a desempenho, peso de carcaça, marmoreio, AOL (rendimento de carcaça) e maciez. O volume de doses utilizadas para inseminar o gado cresceu 125% desde 2016, ano em que teve início a parceria com a central Semex Brasil. De acordo com o gerente de Corte do Grupo Semex, Antonio Carlos Sciamarelli Junior, que acompanhou a visita, todos os animais nascidos desde o início da parceria com a Semex estão sendo monitorados em todas as etapas de produção (cria, recria e engorda em sistema de confinamento), finalizando no abate, para avaliar a evolução genética do rebanho. “Foi uma oportunidade de mostrar a qualidade da pecuária brasileira aos representantes da Semex Alliance do Canadá, que ficaram impressionados com a grande estrutura do projeto”, destacou Antonio Carlos.

A fazenda conta com uma área de 135 mil hectares e um rebanho de mais de 100 mil cabeças, sendo que as fêmeas em idade reprodutiva são mais de 40% desse total. Também participaram da visita à Nova Piratininga o diretor-presidente do Grupo Semex, Nelson Ziehlsdorff, o Distrital da Semex no Centro-Oeste, Paulo Garcia Silveira, e os representantes do Departamento de Corte da Semex Alliance, Dennis Serhienko e Brad Gilchrist.

Estado com maior rebanho brasileiro e exportador de 300 mil toneladas ao ano aposta em novo evento e conta com a presença de empresas tradicionais do segmento, como o Serviço Brasileiro de Certificações (SBC) .  

Um trabalho conjunto e consagrado nos últimos dezoito anos. A força da Pecuária de Corte de Mato Grosso, estado que possui o maior rebanho bovino do Brasil e representa 13,8% da produção nacional. E o Serviço Brasileiro de Certificações (SBC), empresa que atende 820 fazendas com identificação, sendo 540 delas habilitadas para a exportação Europa, trabalhando com dois milhões de animais por ano, o que equivale a 40% do mercado. Atuação que se destacou novamente nos dias 9 e 10 deste mês, durante a primeira edição da Acricorte, evento promovido pela Associação dos Criadores de Mato Grosso (ACRIMAT) e que reuniu mais de mil pecuaristas, empresários, representantes da cadeia produtiva da carne e autoridades, no Cenarium Rural, em Cuiabá (MT), para levar conhecimento, debates e tecnologias para os pecuaristas, integrando a cadeia produtiva da carne bovina.

A abertura contou com a presença de toda a diretoria da Acrimat, o presidente da Associação dos Produtores de Sementes de Mato Grosso (APROSMAT), Gutemberg Silveira, o presidente do Instituto Mato-grossense da Carne (IMAC), Guilherme Nolasco, e o Secretário de Desenvolvimento Econômico do Estado (SEDEC), César Miranda. As duas palestras de abertura foram proferidas pelo economista Ricardo Amorim e o publicitário José Luiz Tejon, que trataram do cenário político na Agropecuária e os desafios da carne para agregar valor sem perder a popularidade.

“Não poderíamos deixar de marcar presença em Cuiabá. Mato Grosso é um estado símbolo da Pecuária do Brasil e é ótimo que a Acrimat tenha tomado as rédeas para realizar um evento que reúna produtores, discuta as questões da cadeia produtiva e dê continuidade ao debate sobre a produção e exportação de carne bovina. Sentimos a forte presença dos pecuaristas, mesmo em uma época de vacinação de Febre Aftosa, quando eles estão muito atarefados na fazenda. Renovamos o contato com nossos parceiros, fizemos ótimos negócios e sentimos muito otimismo de todo o segmento”, analisou Matheus Modolo Witzler, Responsável Técnico GLOBALG.A.P. do SBC.

No ano passado, Mato Grosso produziu 29,7 milhões de animais. Os municípios que se destacam são Cáceres, Alta Floresta, Vila Bela da Santíssima Trindade e Juara. As exportações de carne bovina produzida no estado alcançaram 300 mil toneladas e movimentaram US$ 1.11 bilhões, aproximadamente 20% de toda a proteína embarcada pelo Brasil. Os dados são do Instituto Mato-Grossense da Carne (IMAC). O principal comprador da carne bovina de Mato Grosso foi a China. Em seguida, vieram Irã e Egito.

“Temos como prioridade organizar encontros com informação de qualidade, abordando o que há de novo no mercado, análises do contexto de mercado nacional e internacional. Reunir os elos da cadeia para pensarmos a pecuária do futuro”, afirmou o presidente da Acrimat, Marco Túlio Duarte Soares.

O presidente em exercício da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Mato Grosso (FAMATO), Marcos da Rosa, ressaltou as potencialidades da produção e os desafios enfrentados pelo setor. “Utilizamos apenas 10% do nosso solo para produzir em agropecuária, agricultura e floresta. Absorvemos as tecnologias tanto para a produção de grãos como de carnes. Criamos um caminho coeso que está funcionando. Temos que trabalhar o mercado internacional e diminuir os custos de produção”, alertou Marcos da Rosa.

E trabalhar bem o mercado externo é tarefa bem conhecida do SBC Certificações. A empresa é especializada em certificar as fazendas para encontrar os mercados mais valorizados da carne bovina internacional. Por isso conseguiu em 2018 crescer 15% no número de fazendas certificadas, além de outros 23% nos animais rastreados, trazendo lucro para toda a cadeia, premiando o pecuarista, valorizando os negócios dos frigoríficos, obtendo proteína de qualidade e ganhando a confiança de consumidores exigentes no mundo inteiro.

“Visitamos todos os estandes, as empresas parcerias e sentimos uma ótima vibração na Acricorte. É uma feira que chegou para ficar. As palestras foram ótimas e o espaço para falar sobre coisas novas, que agregam valor ao mercado da pecuária, foi especial. Em 2020, estaremos aqui e, talvez, de uma maneira ainda mais incisiva”, revelou Sérgio Ribas Moreira, Diretor do SBC, que acompanhou Matheus Witzler durante os dois dias do evento em Cuiabá. Além do workshop, o evento contou com uma feira de negócios que exibiu as novidades tecnológicas oferecidas pelas empresas de referência do setor.

“Somos um grande produtor brasileiro, grande player mundial. E o setor pode crescer muito nos próximos anos. Com tecnologia, atendendo aos novos processos que estão chegando, cada vez mais fortes, sempre respeitando o meio ambiente. E o governo pode contribuir criando melhores condições para que os produtores possam acessar os mecanismos legais para comercialização, com políticas públicas ágeis para simplificar a vida de quem trabalha e produz”, prometeu o governador de Mato Grosso, Mauro Mendes.

É a oferta campeã do Di Genio Nelore Produtivo. Oferta de 100 touros Nelore PO, com avaliação do Programa de Melhoramento Genético do Gado Zebuíno (PMGZ). Dia 9 de junho, a partir das nove horas da manhã.

Remate parceiro do Hospital de Amor – O Agro contra o Câncer. Parte do dinheiro arrecadado com a comercialização vai ser doado ao hospital.

Uma realização do Programa Leilões, com transmissão do Canal Rural e retransmissão do Remate Web. Agência Star Rural e da M3 Marcelo Moura.

Não esqueça. Leilão Virtual Touros Nelore Di Genio. Dia 9 de junho, a partir das nove horas da manhã. Di Genio Nelore Produtivo.