A equipe do Grupo Publique está em peso trabalhando na Expozebu 2019, em Uberaba (MG). É a 34ª edição seguida de cobertura, presença ao lado de parceiros, clientes e amigos da Pecuária brasileira. Carlão da Publique, Márcia Benevenuto, Cairo Rodrigues e Felipe Rodrigues.Trabalho total no Leilão Elo de Raça. Na Semex. Com o amigo Sidnei Maschio. Happy hour na Nelorecen. Fazenda Santanna. Sítio Rio Negro e muito mais!

A correspondente do programa Fala Carlão em Minas Gerais, Márcia Benevenuto, mostra nesta edição do dia 2 de maio, quinta-feira, as novidades que chegam da Fazenda Terra Boa, com o tarimbado criador José Luiz Niemeyer dos Santos.

E a preparação dos novos profissionais do Agro Brasil na Faculdade de Agronomia e Zootecnia de Uberaba (FAZU), na conversa com o Diretor Acadêmico Carlos Henrique Cavallari Machado e os Coordenadores de Agronomia Diego Fraga e Livia Magalhães. Não perca. Programa Fala Carlão no Canal Rural, dia 2, quinta-feira, a partir das oito e cinco da noite.

Jovem touro, que está na cabeceira dos três mais importantes sistemas de avaliação genética da raça Nelore, foi vendido em 50% durante a Expozebu.

Evento prestigiado por um grande público, com lances dados por pecuaristas de todos os cantos do País, o Leilão Elo de Raça, realizado na noite de domingo (28), durante a Expozebu, foi palco do remate de um dos principais reprodutores da atualidade. Aos cinco anos e meio de idade, LOGAN DA DI GENIO foi vendido em 50% para a HRO Agropecuária Ltda. (SP) por R$ 375.000,00 – valorizado em R$ 750.000,00.

“O leilão foi ótimo, não só pelo negócio em si, mas também pela importância de divulgarmos a seriedade do trabalho do Nelore DI GENIO, de mostrar o LOGAN com toda a sua produção, a responsabilidade que é colocar no mercado um reprodutor desse nível, dessa envergadura”, destacou Antonio Aurico, gerente do Nelore DI GENIO, elogiando a sociedade com a HRO. “São parceiros do leilão, amigos de décadas. Podemos dizer que o LOGAN está ‘em casa’”, afirmou.

Filho de Big do BJ X Gavina da DI GENIO, além do excelente pedigree, LOGAN DA DI GENIO é sangue aberto para a maioria das linhagens usadas atualmente no Nelore e está na cabeceira dos principais sistemas de avaliação genética da raça: tem IQG 1% no Geneplus, é TOP 0,5% na ANCP com acurácia 66, e DECA 1 do PMGZ. Em 2015, foi touro jovem no PNAT (Programa Nacional de Avaliação de Touros Jovens) e é o recordista com 1.360 doses de sêmen distribuídas. Com réguas de DEPs (Diferenças Esperadas na Progênie) que apresentam índices que o destacam em quesitos essenciais para a seleção, LOGAN apresenta e passa à sua progênie características como estrutura, comprimento e musculosidade avantajados na carcaça, grande área de olho de lombo, fertilidade e habilidade materna.

Sobre o Nelore DI GENIO – Marca reconhecida na produção de touros eficientes, fruto de seleção e de acasalamentos direcionados que identificam promessas da raça, o Nelore DI GENIO também investe em um ótimo manejo e ambiente tranquilo e saudável em todos os espaços do criatório. Com forte pressão de seleção em fertilidade e habilidade materna nas fêmeas, e circunferência escrotal e ganho de peso nos machos, a genética DI GENIO mantém reprodutores nas principais centrais de inseminação do Brasil: LANDAU, LANCHUDO, ORÁCULO e ORPHEU, em coleta na CRV Lagoa; LOGAN, OLDPARR, EFEITO e OPOSITOR, na Alta; JOVEM, na Semex; e JAZIGO, na ABS. Vários touros do criatório foram selecionados pelo Programa Nacional de Avaliação de Touros Jovens (PNAT), como o NEPAL (2017) e o OBAMA (2018).

Com propriedades em São Paulo, Mato Grosso do Sul e Rondônia, o Nelore DI GENIO participa das principais provas nacionais de ganho em peso a pasto e dos programas de melhoramento genético PMGZ/Geneplus e PAINT (CRV Lagoa), com o objetivo de produzir animais duplamente certificados. Todo esse trabalho reflete na excelente padronização dos animais.

Criatório foi homenageado nas categorias ‘Trio Reservado Grande Campeão de Machos’, ‘Trio Campeão Júnior’, ‘Trio Reservado Campeão Júnior‘ e ‘Reservado Campeão Individual Rústico Júnior’.

A Fazenda Terra Boa, do pecuarista José Luiz Niemeyer dos Santos, foi uma das principais homenageadas durante o evento “Brangus Forte”, promovido pela Associação Brasileira de Brangus (ABB) para comemorar os quarenta anos de atividades da entidade. Para marcar a data em grande estilo, a ABB realizou um jantar no último dia 12 de abril, no Espaço D’ Buffet, em Campo Grande (MS), que contou com a entrega das premiações dos campeões do julgamento nacional de rústicos e com homenagens a várias personalidades por seu trabalho em prol da raça, além do tradicional leilão de sêmen.

José Luiz Niemeyer dos Santos e outros, representando a Fazenda Terra Boa, de Guararapes (SP), foram premiados nas categorias ‘Trio Reservado Grande Campeão de Machos’ e ‘Trio Campeão Júnior’, com Brangus JT 1991 FIV, Brangus JT 2001 FIV, Brangus JT 2103 FIV; ‘Trio Reservado Campeão Júnior‘, com Brangus JT 2032 FIV, Brangus JT 2041 FIV, Brangus JT 2072 FIV, e ‘Reservado Campeão Individual Rústico Júnior’, com Brangus JT 2010 FIV.

Primeiro presidente da Associação Brasileira de Brangus, Cláudio Antônio Bitencourt Caldas também foi homenageado na noite que teve, ainda, o tradicional leilão de sêmen da entidade, com a venda total de 1.050 doses ofertadas de 20 touros de R$ 37.500,00. As doses foram doadas pelas principais centrais do País, como ABS, Alta Genetics, CORT Genética, CRV Lagoa, Genex, Renascer Biotecnologia, Select Sires, Semex, Solução Genética, ST Repro e Brangus Brawir.

Participaram do evento criadores destacados da raça e profissionais ligados à cadeia do Brangus, como Gil Tozatti (representando Cláudio Antônio Bitencourt Caldas), Leonardo Pavin (representante da Renascer Biotecnologia), Amadeu Alvim (jurado do Julgamento Nacional de Rústicos Brangus 2019), Renata Pereira (Superintendente do Serviço de Registro Genealógico da ABB), Tita e Ladislau Lancsarics, João Pedro Giudice, Mauro Moraes, Pedro Borgatello, Antonio Celso de Oliveira Figueiredo, Gerson Lima (representando os sócios Augusto e Eduardo Caldeirão), Carlos Alberto Viviani, Ângela Linhares, Mauro e Pedro Braga, Luciano e Carmeliano Zamboni, Santiago Fermin Wirsch e Marcos Sereniski, dentre outros.

No final, foram premiados os campeões do julgamento nacional de rústicos da raça. Os prêmios e as homenagens foram patrocinados pela Renascer Biotecnologia.

Sobre a Terra Boa – A Fazenda Terra Boa iniciou sua criação de bovinos em 1950, com um rebanho comercial e, quatorze anos depois, investiu nas primeiras matrizes Nelore puras. Em 1965, nasceu o produto RGN 001 da seleção Nelore Terra Boa. Em 1992, o criatório ingressou no Programa Nelore Brasil da ANCP (Associação Nacional de Criadores e Pesquisadores) e, em 2003, adquiriu um rebanho comercial da raça Brangus, em Mato Grosso do Sul.

Satisfeitos com as qualidades da raça (precocidade, boa habilidade materna, fertilidade, rusticidade e características funcionais), em 2008, a cabeceira das novilhas foi para a Terra Boa, dando início ao trabalho de seleção do Brangus JT. Para aumentar a qualidade, a eficiência e a produtividade nos rebanhos das raças Nelore e Brangus, em 2015, a fazenda aderiu aos programas Qualitas e Natura/Gensys, validados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) por intermédio do CEIP (Certificado Especial de Identificação e Produção). Campeã em sustentabilidade desde a origem (em 1958, ganhou o troféu “Fazenda Conservacionista do Estado de São Paulo”), a Terra Boa mantém 1.688 hectares com áreas de preservação, pastagens e de cultivo de cana-de-açúcar (Integração Lavoura-Pecuária).

Quando o ITA Senepol iniciou suas atividades de criação da raça Senepol em 2004, a disponibilidade genética era restrita a poucos reprodutores disponíveis para a utilização de sêmen. Hoje, após 15 anos de dedicação, pesquisa e melhoramento genético, temos à disposição vários procedimentos para conhecer quais os genes indesejáveis que nós, criadores, não queremos em nosso rebanho, tais como dupla musculatura, manchas brancas, chifre, pelo longo, dentre outros.

O avanço nestes conhecimentos se deu graças à ação incansável das diretorias que comandaram a ABCB Senepol durante estes 15 anos, potencialmente na gestão atual, em dispender verbas e contratar profissionais capacitados para decifrar o genoma da raça, aliados ao PMGS (Programa de Melhoramento Genético do Senepol) e à adoção de programas de avaliações chancelados pela entidade, que resultaram em muitas informações importantes para conhecer e qualificar os melhores indivíduos da raça.

Estas ferramentas são utilizadas pelo Programa Geneplus Embrapa, parceiro oficial da Associação para a coleta de dados e compilação dos resultados dos animais Senepol, permitiu que conhecêssemos novos indivíduos com larga margem de DEPs positivas, até então restrita a poucos raçadores. Isso motivou os criadores a empreenderem grandes esforços nas avaliações de rebanho, colhendo os frutos deste trabalho. Atualmente, sabemos que, a cada ano, teremos mais e mais machos e fêmeas avaliados com índices cada vez mais expressivos no melhoramento da performance de nossos animais.

Mas o êxito dos trabalhos de pesquisa científica depende da ajuda dos criadores em fornecer todos os elementos informativos para que o estudo técnico se complemente com o que acontece dentro da porteira da fazenda.

Particularmente, nós temos adotados todos os meios de avaliações intrarrebanho para obter resultados sempre crescentes na qualidade de nossos animais. Há pouco tempo, adotamos uma experiência: realizar, em nossas matrizes altamente qualificadas, a cobertura em monta natural e inseminação artificial, obtendo a cria do próprio ventre da mãe. E o resultado foi espantoso!

Com o objetivo de divulgar os resultados deste procedimento de gerar o bezerro no ventre da própria mãe, passamos a conhecer o outro lado da criação de Senepol, cujos índices de peso à desmama, peso ao sobreano e resistência natural às doenças respiratórias e intestinais, dentre outras, foram infinitamente melhores em relação aos tradicionais procedimentos de geração via FIV e TE.

Numericamente falando, conseguimos índices 20% maiores na desmama e 15% superiores ao sobreano, além de oferecer à matriz a condição natural de ela se portar como fêmea reprodutora, que é o melhor atestado reprodutivo que um criador pode oferecer a seus clientes, evitando os danos causados pela ação invasiva dos procedimentos via aspirações foliculares.

Além dos benefícios já destacados, este processo reprodutivo de forma natural implica significativa redução de custos comparados com procedimentos de FIV e TE, proporcionando mais rentabilidade ao criador, que poderá ofertar ao mercado animais com melhores preços sem nenhum prejuízo da qualidade destas crias.

No passado, nós, criadores de Senepol, precisávamos utilizar a FIV e a TE para produzir muito volume de crias para atender à demanda do mercado. Mas hoje, com o grande aumento de matrizes PO avaliadas, a exemplo do que já fazemos no ITA SENEPOL, acreditamos que muitos criadores já tenham condições de explorar esta modalidade reprodutiva de monta natural ou inseminação artificial, em que prevalecendo a lei da natureza, onde o melhor espermatozoide vai fecundar o melhor óvulo e, consequentemente, gerar uma cria melhor em relação aos outros procedimentos reprodutivos.

E assim, vamos tocando em frente nossa missão de produzir alimentos de boa qualidade para todo mundo, com nosso lema: FAÇA CHUVA OU FAÇA SOL, NOSSO NEGÓCIO É PRODUZIR SENEPOL.

Mega Semana Ita Senepol – Nos dias 3, 4, 5 e 6 de Junho, a marca ITA Senepol vai receber seus amigos e clientes na Fazenda Bom Jardim, em Porteirão, Goiás, para apresentar o seu trabalho e seu conceito de seleção.

* Por Itamar Netto

Mais de R$2 bilhões em crédito. Porte de arma para uso do produtor rural em toda a propriedade. E a descriminalização do empresário rural que usar armas para defesa própria. Foram os anúncios do Presidente Jair Bolsonaro na abertura da Agrishow 2019, hoje de manhã, em Ribeirão Preto (SP). A Revista AgroRevenda acompanha tudo da maior festa do Agronegócio nacional.

Acesse www.agrorevenda.com.br

Cobertura total, exclusiva, dia a dia, de olho nos clientes, parceiros, nas novidades, nos maiores remates. O Grupo Publique e o Programa Fala Carlão estão em Uberaba (MG) para cobrir mais uma edição da Exposição Internacional de Gado Zebu, a Expozebu. Os leilões mais simbólicos da Pecuária Brasileira, o trabalho dos pecuaristas e das empresas mais significativas da cadeia produtiva de carne bovina do país. Não existe Expozebu sem o Carlão e a Publique. Marca de mais de trinta anos. Onde há Expozebu, a Publique e o Carlão estão.

Para começar, o Leilão VR JO e apresentação do Elo de Raça. E a presença dos amigos Marcelo Baptista de Oliveira (AgroMaripá), Senador Xavier Souto, Dario Guarita, Doutor Wil Rondó, Eduardo Lunardelli Novaes (NeloreCen), as cenas do Leilão do Presidente Arnaldinho e a imagem exclusiva com seus quatro filhos, Claudia Mendes (Diretora da ABCZ), o Leilão Gir Leiteiro e os grandes amigos da raça, Cadu Novaes e o próximo presidente da ABCGIL, o amigo, Evandro Guimarães.

 

Equipe do Grupo Publique e o Programa Fala Carlão ao lado do Congresso Brasileiro do Quarto de Milha, em Presidente Prudente (SP). Prateleira de cima do Quarto de Milha com Cicinho Varejão, Ilson Romanelli, Ricardo Pulzatto, Daniel, Paulo, Guaxo e Juliana Antonangelo. E nada melhor do que dividir este momento tão especial com a Família Prata. Salve Seo Renato Prata!

A Carpa Serrana, um importante parceiro do Grupo Publique, entrou no mercado internacional há cerca de um ano. Após realizar algumas negociações para exportação de material genético e ser inserida no consórcio Brazilian Cattle, o criatório passou a ser acessado por empresas especializadas no turismo do agronegócio e por pecuaristas estrangeiros, individualmente.

No último sábado, dia 27 de abril, uma comitiva com 25 integrantes da Colômbia esteve na Carpa Serrana e foi recebida pelo gerente de pecuária Luis Otávio Pereira Lima que apresentou a estrutura do criatório, promoveu um desfile com os melhores animais das raças Nelore e Sindi, explicou os conceitos preconizados pelo criador Eduardo Biagi para o melhoramento genético desses zebuínos, bem como as atuações do empresário em outras atividades, como as do setor sucroalcooleiro, por exemplo. “É estimulante ver o pessoal de fora chegar com sede de informação sobre o desempenho do zebu brasileiro. A gente percebe que eles são ávidos por conhecimento e a todo momento buscam uma aplicação da nossa genética nos sistemas de produção deles. Eu percebi um encantamento com os exemplares Nelore e com os lotes de Sindi que são da criação do Victor Biagi”, diz Pereira Lima. Os grupos internacionais que são levados para conhecer o projeto de cria da Carpa, dividido em unidades de São Paulo e Mato Grosso tem a oportunidade de contemplar a seleção de gado PO, saber mais sobre a oferta de touros melhoradores e matrizes de qualidade, além da conhecer detalhes da produção anual de milhares de bezerros para a categoria comercial.

A equipe do Fala Carlão acompanhou a missão colombiana e o apresentador Carlos Alberto da Silva conversou com vários integrantes do grupo. “Particularmente me agrada todo o sistema pecuário do Brasil. É minha 1ª vez aqui e estou impressionado com a qualidade dos animais e o trabalho dos criadores. Acredito que a América Latina nunca vai passar fome, porque o Brasil tem condições de produzir alimento para todos. Todos os pecuaristas de outros países precisam conhecer o sistema de produção daqui para entender e aprender. Os brasileiros são nossos professores. É um país a ser seguido!”, disse Juan Santiago Martinez, vice presidente da Asocebu Colômbia (Associação de Criadores de Zebu).

O criador Juan Pablo Moreno, criador de Gir, Guzerá e Nelore resumiu o depoimento com elogios. “Excelente! Magnífico” e foi acompanhado em coro pelo amigo brahmista, o selecionador Andres Perez. “Tanto o Sindi quanto o Nelore, são raças extraordinárias. Excelentes! Impressionantes!”.

A Colômbia tem 27 milhões de cabeças de bovinos. As raças zebuínas começaram a ser criadas em 1913 e assim como no Brasil, hoje representam a maioria do rebanho. O diretor executivo da Asocebu Colombia, Andres Arenas comenta as peculiaridades da pecuária nos dois países. “O trabalho dos criadores brasileiros se sobressai pela alta qualidade dos animais e principalmente pela ampla utilização de tecnologias de reprodução artificial que acelera o melhoramento genético. Ainda não conhecemos bem o Sindi na Colômbia, mas ficamos bastante impressionados com a raça e também com a genética superior do Nelore da Carpa”, disse o representante da Asocebu.
Em 2018 a Colômbia sediou o Congresso Internacional da Raça Brahman e em 2019 o calendário prioriza dois grandes eventos conta Andrés Arenas. “Este ano teremos dois eventos muito importantes na Colômbia. Em julho a Feira Agro Expo em Bogotá e depois o maior encontro das raças zebuínas, que reúne 1.500 cabeças, na Feira Nacional de Villavicêncio”, convidou o diretor indicando o site www.asocebu.com .

A equipe do Grupo Publique e o Fala Carlão estarão com força total na cobertura da ExpoZebu 2019. Acompanhe tudo nas nossas mídias e redes sociais.

Os suplementos para bovinos de corte e leite da Tortuga®, marca da DSM, serão apresentados na maior feira de tecnologia agrícola do Brasil, onde no estande da Coopercitrus, de 29/4 a 3/5, em Ribeirão Preto (SP).

ntre 29 de abril e 3 de maio, Ribeirão Preto (SP) será palco da 26ª Feira Internacional de Tecnologia Agrícola em Ação, a Agrishow 2019. Para essa que á maior feira do Brasil em tecnologia agrícola, são esperados mais de 150 mil visitantes, que incluem produtores rurais, técnicos e executivos dos muitos setores do agronegócio e elos da cadeia produtiva, que poderão conhecer de perto os benefícios dos suplementos nutricionais da Tortuga®, marca da DSM, que nesse ano estará presente no estande da Coopercitrus.

Aos visitantes, as equipes técnica e comercial da DSM apresentarão o que há de mais alta tecnologia em nutrição para bovinos de corte e leite, a exemplo dos produtos das linhas Fosbovi® e Bovigold®, conhecidos por contribuírem para melhorar os índices zootécnicos dos animais e a rentabilidade da pecuária de corte e leite. “Ao reunir visitantes qualificados e que entendem muito bem dos seus negócios, a Agrishow é um dos espaços importantes para a DSM mostrar as tecnologias para suplementação estratégica, que encurtam o ciclo da pecuária de corte e maximizam a produção de leite, com impacto positivo também em termos de qualidade do alimento que chega às mesas dos consumidores”, conta Olavo Carvalho, gerente de vendas da DSM na região de São Paulo.

Alta tecnologia impulsiona a pecuária de leite – A suplementação nutricional é um dos temas estratégicos para a pecuária leiteira atender às demandas da indústria e dos consumidores. É esse objetivo que a Tortuga®, marca da DSM, atinge com a linha Bovigold®, que inclui produtos desenhados para as diferentes fases de vida dos animais, desde a cria, a recria, até a lactação e vacas em período de transição.

Para contribuir com o aumento de produção de leite das vacas, impulsionando a produtividade, a linha conta com fórmula de alta tecnologia, incluindo os ingredientes CRINA®, RumiStar™ e metionina protegida, aliados aos Minerais Tortuga. Além disso, estão alinhados ao conceito OVN® (Optimum Vitamin Nutrition), uma linha de pesquisa da DSM que analisa a suplementação vitamínica sob a perspectiva de aumento de desempenho do animal e da produção. O CRINA®, composto por uma combinação de óleos essenciais que proporciona maior eficiência alimentar às vacas, substitui os antibióticos na nutrição dos animais. Já o RumiStar™ é a primeira enzima utilizada na nutrição de ruminantes e promove maior digestão do amido e da dieta como um todo, promovendo melhor aproveitamento de nutrientes.

Suplementação também aumenta resultados na pecuária de corte – Para os produtores que optam pelo sistema de pastagem, a equipe da área de Ruminantes da DSM recomenda dois produtos para os bovinos em fase de recria: o Fosbovi® Seca, para a suplementação mineral nitrogenada de bovinos de corte adultos durante a seca, e o Fosbovi® Proteico 35 com Monensina, para bovinos de corte em crescimento produzidos em sistemas de pastagem em período seco. E para os bovinos na fase de terminação, a marca destaca o Fosbovi® Proteico Energético 25 M, para bovinos em crescimento e em engorda que estejam, preferencialmente, em pastagens com boa qualidade e disponibilidade.

Os pecuaristas que produzem bovinos de corte em sistemas de confinamento no período mais seco, comuns nessa época do ano, contam com as tecnologias desenvolvidas pela DSM presentes nos produtos da linha Fosbovi® Confinamento com CRINA® e RumiStar™. Eles têm resultados no desempenho dos animais e chegam a gerar um ganho adicional médio de uma arroba por bovino. “Esse resultado representa a produção do equivalente a um animal a mais a cada 18 bovinos confinados, melhorando a produtividade mesmo em tempos de seca”, comenta o gerente de categoria confinamento da DSM, Marcos Baruselli.

Outros benefícios dessa linha de suplementação são melhor eficiência alimentar; rápida adaptação dos animais; menor taxa de refugo de cocho; redução de problemas digestivos, como o timpanismo; aumento do consumo de ração desde os primeiros dias de confinamento; e menor incidência de problemas como laminites e acidose.