O Grupo Semex, que concentra diversas empresas no segmento de genética bovina, produtos e equipamentos, terá todo o trabalho de relacionamento com a imprensa conduzido pelo Grupo Publique. Atuando dentro do conceito de ser uma fonte de soluções em genética, o grupo inclui a central de inseminação artificial Semex Brasil, a central de coleta de sêmen Tairana, a de embriões Cenatte e a empresa de produtos e equipamentos SRC Supply. O Grupo Semex tem como diretor-presidente o empresário catarinense Nelson Eduardo Ziehlsdorff.

O trabalho do Grupo Publique consistirá em divulgar todas as tecnologias desenvolvidas pela Semex aos veículos de comunicação, permitindo, assim, que essas informações cheguem a toda a cadeia pecuária. Em 2018, a Publique completa 30 anos de atuação na área de comunicação e marketing no agronegócio, contando com dezenas de clientes de diversos segmentos da agropecuária.

Uso de tecnologia e boa gestão financeira garantiram retornos de até 14% nos confinamentos acompanhados pela DSM em SP, MT, MS e GO, graças principalmente ao ganho de uma arroba a mais no período.

Em um ano com um cenário político e econômico nebuloso, valorização no preço dos animais de reposição, recordes no valor da saca de milho e nenhuma certeza sobre os rumos do mercado financeiro, apostar no confinamento foi uma decisão arriscada para o pecuarista brasileiro.

Mas quem planejou e investiu em tecnologia se deu bem. Foi esta a conclusão apresentada por pesquisadores do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada, da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, da Universidade São Paulo (Cepea – ESALQ/USP), e especialistas da DSM, detentora da marca Tortuga, durante o encerramento da terceira edição do Tour DSM de Confinamento que reuniu técnicos e confinadores no dia 28 de novembro na sede do Cepea em Piracicaba, SP.

Mais de 1.000 produtores acompanharam os avanços nos índices econômicos e zootécnicos da atividade durante as seis etapas do tour, que foram realizadas em confinamentos de São Paulo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Goiás. Mesmo estando em regiões diferentes, investindo na terminação de animais que variavam de pantaneiro até angus com 22 meses, com custos de reposição e dietas variados, todas as propriedades registraram taxas de retorno de até 14% na comparação com investimentos conservadores, como a poupança. E os animais tiveram ganho adicional de peso de mais de uma arroba durante o ciclo de confinamento, chegando a 8@, quando a média nesta fase de terminação fica entre 5@ e 7@.

Segundo o zootecnista Marcos Sampaio Baruselli, gerente de confinamento da DSM, os resultados foram alcançados graças aos investimentos em tecnologias para melhorar a conformação de carcaça, o ganho de peso e o acabamento dos animais. “Uma arroba adicional gera aos produtores o equivalente a um animal a mais a cada 18 bovinos confinados”, diz.

As fazendas selecionadas para abrir suas planilhas nos dias de campo integram o Programa de Incentivo à Tecnologia Tortuga (PITT), que assegura acompanhamento personalizado por técnicos da companhia e acesso aos produtos de alto desempenho em nutrição, com destaque para a linha lançada em 2015 pela DSM para gado de corte: os núcleos contendo uma mistura de óleos essenciais batizada de Crina e a enzima amilase chamada RumiStar. “Os óleos essenciais substituem totalmente os antibióticos na ração e a enzima amilase permite melhor absorção do amido do milho, aumentando a eficiência alimentar do bovino”, explica Baruselli.

Experimentos conduzidos pelo professor Flávio Augusto Portela, do Departamento de Zootecnia da ESALQ/USP, e Juliano Fernandes, da Universidade Federal de Goiás (UFG), comparando a monensina, antimicrobiano usado como melhorador de desempenho do bovino, com os aditivos nutricionais e a amilase na dieta do confinamento, confirmam ganhos superiores em quilos por carcaça (Veja detalhes das pesquisas na página seguinte). “Em todas as fazendas visitadas houve rápida adaptação dos animais à nova dieta, menor taxa de refugo, maior consumo de ração e redução dos distúrbios nutricionais como acidose, diarreias e timpanismo”, completa Baruselli.

Retorno positivo

A pesquisadora do Cepea, Mariane Crespolini, que visitou os confinamentos e levantou todos os dados econômicos, confirmou a importância do uso de tecnologia. “Mesmo em um ano bastante desafiador para os produtores, até quem negociou a preço de balcão, obteve lucro”. Mariane comparou o custo de oportunidade do capital de 0,5% ao mês – caso o produtor vendesse todos os animais e insumos e investisse em uma aplicação financeira de baixo risco – com a remuneração obtida com a atividade e observou taxa de lucro (ou Retorno Econômico sobre o Investimento- ROI) superiores a 14% para quem travou no mercado financeiro.

Com o preço do boi magro respondendo por 70% e a dieta por 25% do Custo Operacional Efetivo (COE), a avaliação econômica mostrou que todas as propriedades alcançaram resultados em media 8% superiores ao ponto de equilíbrio, independentemente da estratégia financeira adotada. “E mesmo com dietas mais caras, que giraram em torno de R$ 7,5 a R$ 9,3 por dia, não houve redução no período de cocho” disse a pesquisadora. As fêmeas ficaram em média, 72 dias, enquanto os machos ficaram entre 74 e 116 dias.

Para Sérgio De Zen, coordenador de pecuária do Cepea esta é a vantagem de quem planeja antes de adotar a estratégia. “O controle dos indicadores econômicos e zootécnicos do confinamento é a realidade em apenas 25% das fazendas”, afirma.

A reportagem completa está na edição 434 de DBO. Confira.

Fonte: Revista DBO 434

 

Diferente de 20 anos atrás, a pecuária brasileira exige hoje máxima eficiência dos rebanhos. Para tanto, ter uma prenhês mais precoce e diminuir o intervalo entre os partos são metas indispensáveis a quem deseja ser competitivo no mercado atual. A tarefa não é simples, mas para ajudar os pecuaristas nessa conquista as Fazendas Sant’Anna lançam em janeiro de 2017 o Leilão Safra Antecipada.

O remate especial será realizado em 31 de janeiro pelo MF Rural (www.mfrural.com.br) e Nova Leilões, tendo como proposta disponibilizar touros e matrizes jovens, comprovadamente férteis, em um período no qual a oferta de reprodutores é restrita. Serão 15 touros Nelore PO com idade entre 26 e 28 meses e 18 novilhas Nelore PO prenhes por IA aos 16 meses e com parição prevista já para o início de fevereiro. Todos os animais possuem registro genealógico definitivo (RGD) e são provados pelo Programa de Melhoramento Genético das Raças Zebuínas (PMGZ).

Segundo Bento Abreu Sodré de Carvalho Mineiro, diretor das Fazendas Sant’Anna, o Leilão Safra Antecipada surgiu para disponibilizar ao mercado joias raras que até então ficavam retidas para o aprimoramento genético do plantel da propriedade, que, entre outros objetivos, há mais de 40 anos, prioriza precocidade sexual, fertilidade e habilidade materna, três das características de maior impacto econômico na pecuária nacional.

Precocidade sexual

A seleção para tal atributo impacta profundamente a produtividade de uma fazenda. Uma novilha capaz de ciclar aos 16 meses de idade, por exemplo, tem sua primeira cria em torno de 24 meses, bem inferior à média nacional de 36 meses, permitindo antecipar em um ano o retorno econômico do investimento. Outro benefício gerado por uma matriz com essa qualidade é permitir o ajuste da produção  para o nascimento de um bezerro por ano, uma exigência da pecuária moderna.

Já se emprenhassem aos 18 ou 20 meses o ganho seria menor comparado ao de uma prenhez aos 16 meses, mas ainda assim muito satisfatório perante a realidade atual. Utilizar touros e vacas selecionadas para precocidade sexual não significa apenas fêmeas emprenhando mais cedo, mas também que todas as vacas de reposição estarão sexualmente ativas ainda no início da estação de monta. “As novilhas apartadas para o  Leilão Safra Antecipada foram selecionadas com essa filosofia e são capazes de gerar bons ganhos aos pecuaristas voltados a resultados”, afirma Bento Mineiro.

Fertilidade e Habilidade materna

Assim como ocorre com a precocidade sexual, fertilidade e habilidade materna são qualidades essenciais quando o assunto é melhorar a eficiência produtiva e o capital de giro da fazenda. A primeira porque o bezerro tem que nascer saudável e a segunda porque precisa desmamar pesado, fatores que podem ser melhorados através do uso de touros com DEPS (diferenças esperadas na progênie) positivas.  “E são exatamente esses diferenciais que estamos levando para o leilão”, complementa  Bento Mineiro.

Além deste remate, as Fazendas Sant’Anna planejam um novo leilão de fêmeas, ainda no primeiro semestre, no mês de junho. Estes dois remates são parte de uma estratégia maior dos promotores, de maximizar a venda de matrizes e reprodutores jovens, buscando disponibilizar ao mercado o que tem de mais atual da genética Sant’Anna. Com essa nova estratégia o tradicional leilão anual de touros, que está em sua 28ª edição e ocorre no segundo semestre, fica reservado para a venda de touros mais erados, com idade média de três anos.

 Informações: www.fazendasantanna.com.br / (18) 3265-1329

e-mail_marketing2_leilao_santanna_safra_antecipada

 

A Agropecuária Jacarezinho termina 2016 com seu trabalho de seleção e produção de gado reconhecido por importantes veículos de comunicação e pelo mercado. A empresa recebeu três prêmios nacionais este ano relacionados às duas frentes que atua: produção de gado de corte e de genética.

O primeiro deles foi o “Melhores do Ano BeefWorld”,  promovido pela Safeway Agro. Os premiados foram eleitos por meio de uma pesquisa online, com os principais representantes da pecuária nacional através de voto público. A Agropecuária Jacarezinho venceu na categoria “Produtor de genética” e recebeu a premiação em junho de 2016, na capital paulista, durante a BeefExpo2016.

A eficiência da seleção de Nelore CEIP da Jacarezinho também ficou comprovada com a conquista inédita do “Prêmio Paleta de Ouro”. Destaque da bateria Nelore da CRV Lagoa, o touro Lítio AJ atingiu 261 mil doses de sêmen produzidas e comercializadas e passou a ser o primeiro reprodutor CEIP a receber o troféu Paleta de Ouro.

A mais recente conquista foi o prêmio “As Melhores da Dinheiro Rural”, entregue em dezembro, em São Paulo/SP. A Editora Três selecionou as empresas e produtores rurais que fizeram a diferença na pecuária brasileira, elegendo a Agropecuária Jacarezinho como a melhor da categoria Gado de Produção.

Informações para a Imprensa | Grupo Publique
(11) 9.9105.2030 – carlos@publique.com – com Carlão da Publique
(11) 9.9382.1999 – assessoria@publique.com – com Priscila Pontes

As fêmeas Senepol provenientes do cruzamento entre um touro Senepol PO e uma fêmea Senepol S1 podem ser registradas na categoria S 2. Elas recebem o Controle Genealógico de Nascimento. O técnico da ABCB Senepol só registrará o animal se ele apresentar:

  1. No mínimo de 75% de sangue Senepol;
  2. Registro de Nascimento, na categoria S2, no momento da vistoria;
  3. Atender ao padrão racial preconizado para a categoria.

Os exemplares aprovados na inspeção recebem na perna esquerda a letra ‘S’, que representa a identidade principal da raça Senepol, acompanhada do número 2, representando a segunda geração da categoria CCG.

Apenas fêmeas podem ser registradas na categoria S 2, que é um passo importante rumo ao Senepol Puro. Se cruzadas com touros Senepol PO, suas progênies podem ser registradas na categoria PC1.

Estas regras estão no Manual do Criador, que pode ser acessado na íntegra pelo link http://senepol.org.br/servicos/manual-do-criador/

O Fala, Carlão! esteve no dia 15 de dezembro na sede do Grupo Bandeirantes de Comunicação, em São Paulo, para um encontro com o diretor-executivo do Canal Terra Viva, Eduardo Ramos. Também participaram da reunião a diretora de Novos Negócios e Projetos Especiais, Maria Cristina Bertelli e a gerente do Terraviva Eventos, Carla Tuccilio.
Na oportunidade, Ramos detalhou as atividades que estão sendo desenvolvidas em sua gestão à frente do Terraviva, um dos principais veículos do segmento no país. “É uma marca forte e reconhecida que leva ao telespectador do campo e da cidade a informação completa e o debate essencial sobre a agropecuária brasileira”, afirmou.
Novidade do canal para 2017, o Terraviva Eventos nasce da incorporação da Verum Eventos, cliente da Publique, empresa que marcou o mercado brasileiro com eventos como Circuito Intercorte, Beef Week, Caminho do Boi, Dia do Produtor e iniciativas como a plataforma Integrar para Crescer. “O Terraviva Eventos vem para unir a competência em realização de eventos de sucesso da Verum, com o conteúdo e a visibilidade incomparáveis do Grupo Bandeirantes”, disse Tuccilio.
O Fala, Carlão continua as tratativas para incluir seus vídeos no programa Integrar para Crescer, apresentado por Tobias Ferraz, a partir do próximo ano.
Todos os vídeos do Fala, Carlão! Estão disponíveis no youtube: https://www.youtube.com/channel/UCkV_SHa-dENT_56AtFRBsmg
Aos 70 anos, o Grupo Bandeirantes hoje é um conglomerado de empresas que conta com a TV Band News, a TV Band, a BandSports, a Play TV, o grupo de rádios Band FM, Nativa FM, Rádio Bandeirantes AM/FM, a BandNews FM, a SulAmérica Rádio Trânsito, o Jornal Primeira mão, a TV Cidade e a gravadora BandMusic. O grupo ainda publica o Jornal Publi Metro, distribuído gratuitamente na cidade de São Paulo.

ae466135-bfa2-47c3-a899-1b4ef39db17e

bdce8fcd-7262-4f05-ac26-75a52465bc33

História, vocação, dedicação e qualidade. Foi o que o Fala, Carlão! encontrou na visita ao açougue deBetti Dry Aged (www.debetti.com.br) na capital paulista.

Filho, neto e bisneto de açougueiros, Rogério Betti tem orgulho em dizer que “nasceu” e cresceu dentro de um açougue. Após sua família deixar o negócio de carnes no final dos 1990, ele se tornou consultor do mercado financeiro, segmento que ficou por quase 15 anos.

Após o primeiro contato com Peter Luger, dono da mais famosa Steak House de Nova York, Betti decidiu reproduzir no Brasil uma técnica de preservação difundida nos Estados Unidos e na Europa, a da maturação a seco da carne, ou dry aged. Para tanto, ele comprou uma geladeira, passou a pesquisar quais eram as condições de maturação e buscar carne de qualidade.

Em princípio, a produção de dry aged era para ser consumida em churrascos com amigos e familiares. Mas a aprovação imediata de quem saboreava e a divulgação nas redes sociais fizeram com que outras pessoas passassem a desejar o produto.

Assim, o que era lazer, se transformou no açougue e e-commerce deBetti Carnes Especiais, onde o cliente pode comprar uma carne de excelente qualidade, seja in-natura, seja maturada a seco (dry aged). São produtos para o dia-a-dia, para o churrasco e, até mesmo, peças que são desprezadas por boa parte dos churrasqueiros, como o miolo da paleta (shoulder), que Betti faz questão de ensinar a assar em vídeos no site do açougue.

Para Rogério Betti, ter uma alimentação balanceada é muito importante para uma vida saudável, e comer carne faz parte dessa dieta. Seu mote é: Coma Menos, Coma Melhor.

“Nossa missão é oferecer ao amante de churrasco carnes de altíssima qualidade, monitorando todas as etapas da cadeia de maneira direta, aproximando o produtor do cliente final.”

Assista a conversa com o Rogério Betti na página do facebook do Fala, Carlão: @falacarlao ou no youtube: https://www.youtube.com/channel/UCkV_SHa-dENT_56AtFRBsmg

Além das carnes, o deBetti oferece uma charcutaria, com produtos artesanais de altíssima qualidade como copas, panchetas, salame com pistache e queijos tipo cuesta produzido de forma artesanal com leite cru de vacas zebuínas da raça Gir, na Fazenda Pardinho de Jovelino e Bento Mineiro. O visitante também poderá levar para casa cervejas e vinhos selecionados.

O deBetti Dry Aged fica na Rua Curumins, 11, Cidade Jardim, São Paulo-SP.

Fonte: Grupo Publique

O ano de 2016 está terminando com novidades para os usuários do aplicativo WebGados. Além de comercializar animais, agora é possível negociar maquinários agrícolas e tratores. Outras novidades que serão implantadas em breve são a possibilidade de anunciar a venda de propriedades rurais e a modalidade de leilão. Em todas as categorias de produto, o aplicativo permite a negociação direta entre comprador e vendedor, com rapidez e segurança.

A WebGados foi a primeira empresa no mundo a lançar um aplicativo com esta finalidade. Lançada este ano, a plataforma conta também com uma versão para a web (www.webgados.com.br) e traz fotos, vídeos e informações sobre todos os animais, máquinas e tratores ofertados. A busca de produtos conta com vários filtros para que o comprador encontre exatamente o que precisa. Basta definir no aplicativo a região na qual pretende adquirir a mercadoria, a quantidade desejada, o tipo do animal ou do equipamento. Para dar mais segurança ao negócio, há uma nota de qualificação dos vendedores, dada pelos próprios compradores.

A fé e a positividade são o tema da coluna “Andanças” da edição de dezembro da revista Pecuária Brasil. O presidente do Grupo Publique, Carlos Alberto Silva, conta sua retomada da fé, desde sua experiência como coroinha da Igreja Católica nos anos 70, as décadas sem frequentar uma missa e a atual retomada às celebrações religiosas. “Termos como ‘a força da mente’, ‘otimismo’, ‘pense positivo’ nada mais são que sinônimos de uma palavra antiga e por vezes e muito esquecida: a boa e velha fé.”, afirma.

Clique aqui e confira a coluna na íntegra.

15578700_1809025119363914_7406071132339042712_n

Os 20 anos de sucesso da Associação Brasileira de Indústrias de Suplementos Mineirais (ASBRAM) em defesa do crescimento do agronegócio serão apresentados no Anuário da DBO de 2017. O anúncio publicitário desenvolvido pelo Grupo Publique destaca o trabalho da entidade ao longo dessas duas décadas e traz ainda o Selo Comemorativo dos 20 anos. A ASBRAM comemorará a data durante todo o ano de 2017.  Hoje, a associação é composta por indústrias brasileiras produtoras de suplementos para a pecuária e hoje conta com mais de 60 associados.

anuncio_asbram