Em reunião realizada no início da semana, pecuarista entregou sua carta de apoio

O pecuarista Carlos Viacava, titular da marca CV, aceitou o convite de Arnaldo Manuel de Souza Machado Borges e será candidato à vice-presidência da ABCZ (Associação Brasileira dos Criadores de Zebu) na chapa que será registrada para as eleições que serão realizadas em 2016. Em reunião realizada no início desta semana, Viacava entregou sua carta de apoio.

De acordo com Arnaldinho, atual vice-presidente da ABCZ, a candidatura é “pautada no fortalecimento do elo entre a ABCZ e os criadores, por meio da valorização do trabalho do corpo técnico, aprimorando as ferramentas de melhoramento genético e avaliação das raças e o fomento das atividades de criação, comercialização e promoção do zebu”.

Viacava defende a ILP como instrumento para modernização da pecuária brasileira – o pecuarista obteve uma excelente experiência na Fazenda Campina, em Cauiá (SP). “A boa genética só se expressa em boas condições ambientais. Parafraseando meu filho, Ricardo Viacava, o Cadão, a genética é determinante e o ambiente fator limitante”, destaca.

Fonte: NewsPrime

Painel – Impulsionando Agronegócios com Marketing Digital com Guilherme Penteado, da GeneTatuapé, André Donadel da Paripassu, Leo Kuba, da Incuba, com moderação de Miguel Cavalcanti.

Acompanhei tudo em nossa página no facebook

Ótima palestra de Deli Matsuo: Mantendo a cultura em um ambiente de rápido crescimento. É importante criar e manter os pequenos ritos na sua empresa.Cooperação e interação com a comunidade. Explore o Conceito de Tribo e crie equipes de alto desempenho.

Acompanhei tudo em nossa página no facebook

O Grupo Publique, com Carlos Alberto da Silva participa nesta manhã do RD. Aqui nesta foto Com Wil Reynolds, especialista americano extremamente crítico do Facebook, que ” só quer vender só querem te vender coisas ao invés de te ajudar. Para ele, conteúdos bons dispensam pedidos de e-mail e outras informações. Seria o começo do fim das Landing Pages. ? Conclui ele: temos que mudar a nossa indústria!
O título provocativo da sua palestra foi: Disruption In Search, New trends In Distribution.

Acompanhei tudo em nossa página no facebook

O Marketing digital segue firme e funciona em vários segmentos. E funciona no Agro. Por isso, o Grupo Publique está por lá e acompanha tudo de perto. Para Miguel, é necessário deixar de ser aluno para ser professor. Ensinar é a melhor forma de aprender.

Acompanhei tudo em nossa página no facebook

Presidente do Grupo Publique Carlão com Bob Wollheim na Palestra “O que as agências podem aprender com as Startups”. De certa forma, segundo o palestrante, as redes sociais é uma volta ao mundo das cavernas. Outro dado interessante : 2/3 dos Apps criados no mundo jamais foram baixados. Posicionamento continua sendo a chave de tudo. A grande idéia ainda é a grande geradora de negócios. O Marketing Digital é um novo mundo em contraponto ao velho mundo das agências tradicionais. Mas o mundo funciona integrado.

Acompanhei tudo em nossa página no facebook

Novo serviço passa a ser oferecido pelos técnicos de campo da ABCZ, sem custos adicionais aos criadores que participam do programa

Visando incentivar o uso efetivo das ferramentas do 100% PMGZ (Programa de Melhoramento Genético de Zebuínos), especialmente o SIAG (Sistema Integrado de Avaliações Genéticas), a ABCZ passa a oferecer uma nova modalidade de prestação de serviços aos criadores participantes do 100% PMGZ com número menor ou igual 30 matrizes inscritas no programa.
A partir de agora, os criadores com até 30 matrizes poderão contar com o serviço de acasalamento de curral das matrizes de sua propriedade. O processo será conduzido por um técnico habilitado do Serviço de Registro Genealógico das Raças Zebuínas e será realizado durante o atendimento normal dos serviços de RGN, RGD e/ou pesagens do Controle do Desenvolvimento Ponderal – CDP. Desta forma, não haverá custos adicionais.
“A medida se aplica apenas àqueles criadores com um número de matrizes no PMGZ menor ou igual a 30, devido ao fato de que plantéis maiores que esses não seriam possíveis de serem contemplados em um mesmo atendimento envolvendo todos os serviços mencionados. Na prática, o técnico deverá comunicar o criador com antecedência sobre esse atendimento especial, possibilitando que o processo seja acompanhado, caso queira”, explica o superintendente Técnico da ABCZ, Luiz Antonio Josahkian.
O trabalho consiste no uso da ferramenta eletrônica SIAG e, imediatamente depois, sua aplicação prática com as sugestões de acasalamentos individuais de cada uma das matrizes devidamente analisadas. Para tanto, o técnico utilizará as recomendações de acasalamento do SIAG associando-as aos seus conhecimentos complementares de seleção, que envolvem outras características não contempladas no sistema eletrônico.
Para saber mais detalhes sobre esta nova modalidade de prestação de serviço, entre em contato com o técnico responsável pelo atendimento em sua propriedade.

Os criadores que ainda não aderiram ao 100% PMGZ e, que tem interesse no serviço, devem consultar os técnicos de campo em suas regiões para terem orientação sobre as  vantagens oferecidas pelo programa.

À convite da Ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Kátia Abreu, o presidente da ABCZ (Associação Brasileira dos Criadores de Zebu) e da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Carne Bovina, Luiz Claudio Paranhos, integrará a missão oficial que participará de uma série de atividades na Índia e China, entre os dias 07 e 19 de novembro.

Além da promoção de encontros bilaterais entre autoridades políticas destes países, durante a missão também serão realizadas reuniões empresariais com potenciais parceiros oportunizando o estreitamento de relação comercial do Brasil com estes países. “A ABCZ vem trabalhando firme para representar cada vez melhor a pecuária brasileira como um todo. Nosso objetivo nesta missão é o de defender os interesses dos produtores de carne e leite do Brasil buscando novas oportunidades”, afirma Paranhos.

A comitiva do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento do Brasil visita ainda a Arábia Saudita. No entanto, o presidente da ABCZ não participará da agenda de atividades neste país.

O presidente do Grupo Publique, Carlos Alberto da Silva, mais conhecido como Carlão da Publique, já está em Florianópolis no Centro de Convenções para participar do RDSUMMIT, que vai começar dentro de instantes e vai debater as grandes temáticas do setor de marketing digital no Brasil.
Estamos empenhados em fazer do Grupo Publique a maior referência do setor de marketing digital para Agronegócio no Brasil.

Acompanhei tudo em nossa página no facebook

A ministra Kátia Abreu (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) afirmou nesta quarta-feira, 28 de outubro, que o projeto Rural Sustentável ajudará o Brasil a cumprir os compromissos assumidos durante a Conferência do Clima de Paris, a COP 21. Agricultura de Baixo Carbono (ABC), desmatamento ilegal zero e redução da pobreza no campo são os principais objetivos da iniciativa.

O projeto, lançado neste mesmo dia pela ministra, vai oferecer US$ 26 milhões em crédito a 70 municípios, beneficiando 3500 pequenos e médios produtores de Mato Grosso, Pará e Rondônia, na Amazônia, além dada Bahia, Minas Gerais, Paraná e Rio Grande do Sul, na Mata Atlântica, por meio de mecanismo inovador de financiamento por resultado.

“O Brasil apresentou metas viáveis na COP 21. Para cumpri-las, vamos à procura não apenas dos recursos disponibilizados no Tesouro, mas temos condições de firmar parcerias exitosas como o Rural Sustentável, que vem casar perfeitamente com nossas pretensões e ajudar o Brasil a cumprir suas metas”, destacou Kátia Abreu, durante solenidade no Ministério da Agricultura, em Brasília.

O Rural Sustentável conta com a participação do Departamento do Meio Ambiente, da Alimentação e dos Assuntos Rurais (Defra), do governo do Reino Unido, do Banco do Brasil e do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

AS METAS

Entre as metas para a COP 21 citadas pela ministra – já adiantadas pela presidenta Dilma Rousseff – está a redução em 36% da emissão de gases do efeito estufa até 2025 e de 43% até 2030.

“Com certeza, essas metas virão acompanhadas de mais crédito para o nosso Plano ABC”, disse a ministra, lembrando que, no passado, os produtores rurais tinha “preconceito” contra políticas voltadas para a redução de emissão de gases do efeito estufa e outras medidas relacionadas ao clima.“Porém, com o passar do tempo, enxergamos que todos os compromissos traziam retorno muito positivo, porque junto vinham financiamentos para os produtores recuperarem suas terras”, observou Kátia Abreu.

Com a recuperação das pastagens degradadas – atividade contemplada pelo Plano ABC –, as fazendas se tornam mais produtivas, os produtores melhoram sua renda e ajudam na redução das emissões de gases. “É o tipo de negócio que é bom para todo mundo”, completou a ministra.

O PROJETO

Durante a solenidade, nesta quarta-feira, assinaram o protocolo de entendimento para implementação do Rural Sustentável a ministra Kátia Abreu; o ministro-conselheiro do Reino Unido, Wasim Mir; a representante do BID no Brasil, Daniela Carrera-Marquis, e o diretor de Agronegócio do Banco do Brasil, Clênio Severio Teribele.

O Banco do Brasil repassará os benefícios a produtores rurais e agentes de assistência técnica, que deverão reduzir emissões de carbono, ampliar a sustentabilidade e adotar práticas de gestão em suas propriedades.

A expectativa, de acordo com a ministra, é melhorar o acesso a linhas de crédito rural oficial, como o Plano ABC, que ofereceu R$ 10 bilhões em crédito desde 2011 para recuperação de terras degradas e boas práticas.
O diretor do Banco do Brasil lembrou que o Plano ABC está “completamente alinhado” às estratégias do programa. Acrescentou que a instituição tem a maior carteira do país voltada para o plano, tendo somado R$ 7,9 bilhões de crédito concedido até o fim de junho deste ano.
A representante do BID no Brasil ressaltou que o Rural Sustentável gera grande expectativa de que a iniciativa se estenda a outros países da região. “Marcará uma melhor prática não apenas no Brasil, mas no restante da região. É o maior projeto voltado para esse tema que realizamos”, afirmou Daniela Carrera-Marquis.

A ministra destacou a importância da gestão e do monitoramento do programa, a fim de assegurar a correta execução, monitoramento e avaliação das atividades de cooperação.

“É um programa de quatro anos que tem metas, monitoramento rigoroso, site e plataforma online que controlará todos os resultados. Ao final do período, teremos condições de mostrar ao mundo do que nossos produtores são capazes”, ressaltou a ministra.

Foto: Ministra da Agricultura, Kátia Abreu durante lançamento do projeto “Rural Sustentável”, que ajudará o Brasil a cumprir compromissos que devem ser assumidos durante a COP 21, em Paris (França). Foto: Carlos Silva/Divulgação Mapa

 Fonte: Ministério da Agricultura